Inaugurada a feira de agroecologia e economia solidária na UFFS, campus de Chapecó

Foto: Divulgação UFFS.

Degustações, comercialização, produtos coloridos e fresquinhos. A Feira de Agroecologia e Economia Solidária iniciou na quarta-feira (27) na UFFS – Campus Chapecó cheia de movimento, alimentos saudáveis e gente interessada em comer melhor. Essa foi apenas a primeira feira; o evento acontecerá sempre às quartas-feiras, das 13h às 19h30, no hall do Bloco B.

Uma cerimônia informal marcou o início da feira, além de apresentações artísticas. O pró-reitor de Extensão e Cultura, Emerson Neves da Silva, falou sobre a importância do momento, especialmente quanto ao fortalecimento da relação que a UFFS – Campus Chapecó terá com a comunidade. A diretora da UFFS – Campus Chapecó, Lísia Regina Ferreira, reforçou o empenho, especialmente de servidores técnico-administrativos, para a viabilidade da feira. “Esse momento é de realização para mim, enquanto diretora, principalmente ao ver um conjunto de técnicos do campus assumindo essa pauta. Posso dizer que esse projeto está a ‘cara’ dos técnicos, no sentido de assumir a realização da feira aqui. Além disso, a feira fortalece a defesa de uma cultura sustentável, mais saudável, e da produção pela agricultura familiar, temas ligados a alguns dos compromissos da Instituição”.

O coordenador do Programa Agroecologia e Economia Solidária, Ramão de Vargas Lucas,  lembrou que produtores de agroecológicos e de produtos da economia solidária não têm, em geral, os mesmos acessos a locais para a venda dos produtos. “O dia de hoje é um divisor de águas aqui no campus e é só o começo. Estamos em trâmites para ampliar os produtos, como trazer artesanatos para a comercialização também”. A coordenadora da feira em âmbito local, Rosana Lampugnani, entusiasmou-se com a inauguração. “Foram quatro meses de trabalho para viabilizar a feira. Como filha de agricultores e criada na roça, fico feliz em ajudar e poder, de alguma forma, valorizar a agricultura familiar. As feiras se constituem numa oportunidade de os pequenos agricultores familiares manterem-se nas propriedades”, destacou.

A agricultora de Guatambu, ligada à cooperativa daquele município, Marlene Zanrosso, assim como as outras famílias cooperadas, tem um motivo bastante forte para trazer os produtos para a feira, semanalmente: “manter nossos filhos na roça. O que eles disseram para nós é que esperam muito que a feira dê certo. Aqui está a família, a nossa vida. Não queremos disputar emprego com o jovem da cidade. Queremos produzir e com qualidade de vida”, finalizou.

Além de uma degustação de produtos – cucas, bolos doces e salgados, sobremesas – a feira teve duas apresentações culturais: o Trio Sem Fronteiras, com música haitiana, e a dupla Juventude Canta Dom José.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.