Guilherme Boulos na UFSC: Ares de luta e resistência para 2019

Foto: Carol Morgan e Leonardo Gatti.

Por Fernando Calheiros, para Desacato. info.

Em mais uma passagem bem sucedida em Florianópolis na terça (19), Guilherme Boulos (PSOL) coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), participa de homenagem a Marielle Franco e abre o semestre 2019.1 da UFSC.  

Fruto de muita repercussão (a favor e contra) desde a divulgação do evento nas redes sociais, a aula magna com o tema “Resistências, Lutas Sociais e Movimento Estudantil” realizada pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE Luis Travassos) gestão Canto Maior, conseguiu lotar o auditório da reitoria e a praça central da Universidade.

Aglutinando diversos sujeitos políticos do campo progressista, autonomista e de esquerda atuantes na cidade, entre eles estudantes, professores, servidores, militantes de movimentos sociais, partidos políticos e sindicatos, a aula magna ministrada por Boulos destacou a importância da luta e resistência da Universidade Pública frente a uma agenda política ultraconservadora de ataques aos direitos políticos, civis e sociais.

Ao fazer uma crítica direta ao governo Bolsonaro, a liderança do MTST chamou a atenção para uma série de propostas de medidas e reformas antidemocráticas que estão sendo pautadas pelo novo governo, entre elas, a reforma da previdência. Salientou a necessidade de articulação política progressista e de esquerda em torno da resistência a proposta de reforma feita pelo governo, convocando todos e todas a participarem do “Dia nacional de luta em defesa da previdência” programado para a próxima sexta (22), ato que em Florianópolis esta marcado para às 17 horas no TICEN.

Antes da aula magna realizada na UFSC, Boulos participou, a convite da Câmara municipal de Florianópolis, de uma sessão solene à memória de Marielle Franco e Anderson Gomes, assassinados brutalmente há um ano. Contando com um público que lotou a Câmara, juntamente da presença de 21 dos 23 vereadores da casa, prestaram homenagem na tribuna além do Boulos, a militante Lorena Duarte e os vereadores Marquito e Afránio do PSOL. Com falas exaltando a luta e coragem da vereadora do PSOL, todos os palestrantes exigiram justiça e a devida punição não só a quem matou, mas principalmente a quem mandou matar Marielle.

A passagem rápida, porém, contagiante de Boulos por Florianópolis, mostrou a existência e disposição para uma possível aglutinação do campo progressista e de esquerda no município. Transmitindo coragem e perseverança para um novo clico de lutas que se inicia num ano que promete ser de mais ataque aos trabalhadores(as), movimentos sociais e à própria universidade, o líder do MTST trouxe um ar de luta e resistência à militância de Florianópolis.

Foi revigorante sua passagem pela UFSC. Mostrou a nossa capacidade e possibilidade de união e resistência frente aos setores reacionários e à barbárie anunciada pelo governo Bolsonaro. Valeu camarada Boulos!! Volte sempre! Seguimos em luta.

_

Fernando Calheiros é cientista social e professor da rede pública. Atualmente cursa mestrado no Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Santa Catarina.

 

 

A opinião do autor/a não necessariamente representa a opinião de Desacato.info.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.