Greve na Comcap?

Caminhões estragados, falta de pagamento e condições precárias

Trabalhadores se reunirão nesta quinta-feira (1º) em assembleia para deliberar sobre greve por tempo indeterminado. O não pagamento das horas extras e o número excessivo de caminhões estragados são as principais motivações da categoria.

Os trabalhadores da Comcap estão reunidos na manhã desta quinta-feira (1º de fevereiro) em assembleia extraordinária para deliberar pelo início de uma greve por tempo indeterminado. As principais motivações são o não pagamento das horas extras pela empresa e o número excessivo de caminhões estragados, que afetam o trabalho e prejudicam gravemente o atendimento à população.

Nesta terça-feira (30), os trabalhadores foram surpreendidos pelo recebimento do contracheque sem as devidas horas extras realizadas em dezembro. Parte da categoria recebeu parte do valor, enquanto outros não tiveram contabilizados um único real no salário de janeiro.

Paralelamente, o número de caminhões fora de funcionamento só aumenta. A frota total da Comcap gira em torno de 60 veículos, mas nesta terça, cerca de 40 estavam quebrados no pátio do Estreito.
Diariamente, para garantir a cidade limpa, são necessários pelo menos 24 caminhões em funcionamento – o que dificilmente acontece. Por conta disso, trabalhadores têm se submetido a jornadas extenuantes e que ultrapassam o horário contratual.

Caminhões conquistados em acordo não são o suficiente

No último acordo coletivo da Comcap, aprovado em novembro, a categoria conquistou a aquisição de 15 caminhões para trabalharem já neste verão. Estes veículos estão em circulação e ajudaram a impedir o caos completo no auge da temporada – mas não são suficientes para normalizar a situação problemática vivida pelos trabalhadores da Comcap.

O acordo coletivo também inclui a aquisição, em 2018, de no mínimo 10 equipamentos de grande porte (caminhões coletores, seletiva e convencional, caminhões tipo truck, caçambas para DPLP, caminhões roll on/roll off). Até o momento, a prefeitura não se posicionou sobre a data em que estes veículos serão entregues.

O Sintrasem não vai engolir a propaganda da prefeitura que, além de lucrar nas redes sociais em cima do trabalho importantíssimo desenvolvido pela Comcap, deixa de reconhecer os direitos dos trabalhadores – que, diga-se de passagem, não mediram esforços nesta temporada nem frente às adversidades climáticas ou da falta de equipamentos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here