Greve solidária na Palestina

Por Diana Alzeer.

Movimentos da juventude e ativistas da Palestina e o mundo declaram a quarta-feira 12 de outubro Dia de Greve Geral e de Fome em solidariedade com os palestinos presos em Israel, que estão em greve de fome há 14 dias.

Redes sociais e blogs também se dedicarão ao asunto com etiquetas como #Oct12 #RightsPrisoners, #HungerStrike e #HS4Palestine.

A mídia palestina informou nesta segunda que muitos presos, incluindo o secretário geral da Frente Popular para a Liberação da Palestina (FPLP), Ahmad Saadat, estão em grave estado de saúde. As autoridades israelenses continuam se negando a considerar as demandas dos prisioneiros que levaram à greve de fome a partir de 27 de setembro.

Akram Mansour, que está em uma prisão de Israel desde 2 de agosto de 1979, e tem um tumor no cérebro, também sofreu uma deterioração drástica na sua saúde. As autoridades israelense da prisão se recusaram a dar qualquer tipo de tratamento a Mansour depois de ficar inconsciente várias vezes.

Mais 460 prisioneiros se uniram à greve de fome recentemente.

Em conversa telefônica na segunda-feira de manhã, Ayman Karajeh, pesquisador na Organização pelos Direitos Humanos Palestinos e os Direitos dos Presos, Addameer me disse: “o número de presos em greve de fome chegará amanhã a 4000 e virará uma greve completa em todas as prisões se as autoridades das penitenciárias israelenses não atenderem as demandas dos prisioneiros.”

Karajeh também confirmou que todos os 200 prisioneiros que começaram a greve foram transferidos imediatamente a confinamento solitário como punição pela greve.

Addameer informou que esta greve é uma resposta a “uma série de medidas punitivas em aumento” tomadas pelas autoridades das prisões israelenses. Os prisioneiros palestinos exigiram o fim do seu castigo coletivo, do confinamento solitário, a proibição do acesso à educação e a contínua humiliação por parte das autoridades israelenses.

O assunto dos prisioneiros palestinos é um tema candente. As estatísticas mostram que em torno de 40% dos homens palestinos nos territórios ocupados foram presos por Israel. Isto faz com que o tema dos prisioneiros seja quase uma experiência universal entre os palestinos.  Há 6000 prisioneiros palestinos nas prisões israelenses, o que inclui mulheres, crianças e idosos. 219 deles estão sob detenção administrativa sem acusação.

Diana Alzeeré uma ativista político-social e produtora autônoma que mora em Ramallah, Palestina. Twitter: ManaraRam

Versão em português: Tali Feld Gleiser.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorNo baleiro
Próximo artigo…cristãos mortos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.