Frente Ampla do Chile pede união por Haddad e diz que Bolsonaro é continuação do golpe

Em declaração pública sobre as eleições presidenciais do Brasil, a coalizão de partidos de esquerda do Chile, Frente Ampla, afirmou que Jair Bolsonaro é um candidato fascista e representa a continuidade do golpe no país.

“Esta figura fascista, machista, racista e homofóbica, faz apologia à violência e é defensor acérrimo da ditadura militar que assassinou e torturou cidadãos brasileiros entre 1964 e 1985”, afirma o grupo, em documento divulgado na última semana.

De acordo com o movimento chileno, uma vitória de Bolsonaro “significará o aprofundamento da atual crise e um retrocesso à luta por direitos sociais, já que representa a continuidade do Golpe de Estado contra a Democracia”.

No documento, a Frente Ampla declarou apoio ao candidato do Partido dos Trabalhadores, Fernando Haddad, e ainda afirmou que nesta votação “está em questão a vitória ou a derrota de um golpe à democracia iniciado em 2016 com a destituição parlamentar da Presidenta Dilma Rousseff”.

“Consideramos que esta eleição tem caráter transcendental para o destino do Brasil e da América Latina”, declarou.

Leia o documento na íntegra: 

DECLARAÇÃO PÚBLICA FRENTE AMPLA DO CHILE SOBRE A SITUAÇÃO POLÍTICA NO BRASIL

Diante das eleições presidenciais ocorridas no Brasil no último dia 7 de outubro, na qual Fernando Haddad e Jair Bolsonaro irão disputar o segundo turno dia 28 do mesmo mês, nós, da Frente Ampla do Chile declaramos:

1. Consideramos que esta eleição tem caráter transcendental para o destino do Brasil e da América Latina. Nessa disputa está em questão a vitória ou a derrota de um golpe à democracia iniciado em 2016 com a destituição parlamentar da Presidenta Dilma Rousseff, golpe que se seguiu de um mandato totalmente ilegítimo e autoritário de Michel Temer, que implementa leis que operam como contrarreformas, tirando direitos sociais ao trabalho, à educação, à saúde, e ao patrimônio público, além de aumentando a repressão social.

2. Diante desse cenário, somos claras e claros em apoiar Fernando Haddad, membro do Partido dos Trabalhadores (PT), ex-ministro de Educação e ex-prefeito de São Paulo. Sustentamos nosso apoio respaldando de forma irrestrita a forças democráticas e populares que representam a luta contra o Golpe de Estado, pelo direito a um julgamento justo do ex-presidente Lula e a possibilidade certa de superar a grave crise econômica e política que vive atualmente o Brasil governado pela direita.

3. Somos taxativos, também, ao repudiar a possibilidade de que o candidato da extrema-direita, Jair Bolsonaro, chegue à Presidência. Esta figura fascista, machista, racista e homofóbica, faz apologia à violência e é defensor acérrimo da ditadura militar que assassinou e torturou cidadãos brasileiros entre 1964 e 1985. Sua chegada ao poder apenas significará o aprofundamento da atual crise e um retrocesso à luta por direitos sociais, já que representa a continuidade do Golpe de Estado contra a Democracia.

4. Nesses mesmos termos, apoiamos enfaticamente o movimento #elenão, organizado por mulheres brasileiras em repúdio ao candidato da direita e contra seus constantes discursos depreciáveis, sobretudo diante das desigualdades sociais entre homens, mulheres e da diversidade de opções sexuais. Cabe destacar que este movimento abre um novo capítulo para a luta feminista no País, sobretudo no contexto em que o Brasil é o quinto país com mais assassinatos de mulheres no mundo (de acordo com fontes da OMS), e conta com uma defasagem salarial de pelo menos 25% entre homens e mulheres (o que pode aumentar a 55% se se compara com homens brancos e mulheres negras).

5. Somamo-nos às forças irmãs da esquerda, centro, progressistas e aos movimentos sociais, urbanos e rurais do Brasil e da América Latina, respaldando a candidatura de Fernando Haddad, e conclamamos a redobrar os esforços de unidade e pôr em prática a campanha para demonstrar que as importantes mudanças que o Brasil precisa em políticas sociais, econômicas, de gênero e ambientais só poderão desenvolver-se a partir das forças de esquerda, democráticas e progressistas. O fascismo se combate com argumentos, com capacidades próprias, com força e com mais organização.

Pela unidade e a esperança de uma Pátria Grande Unida!

Chile, 11 de outubro de 2018.

Frente Ampla do Chile

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.