Foto de Carlos Bolsonaro que simula tortura gera revolta nas redes

Na quarta-feira (26), o vereador Carlos Bolsonaro (PSC), filho do candidato à presidência Jair Bolsonaro (PSL), publicou uma foto no Instagram de um homem com um saco plástico na cabeça, ensaguentado e com a boca aberta, simulando a tortura. A publicação gerou a revolta e indignação de internautas e de políticos, como Jandira Feghali (PCdoB), Maria do Rosário (PT) e Jean Willys (PSOL).

Foto: Reprodução.

Por Verônica Lugarini.

Na imagem, o torturado está com os braços amarrado e traz a frase “sobre pais que choram no chuveiro”, que circula nas redes sociais como uma crítica aos homossexuais, cujos pais teriam “vergonha” da orientação sexual dos filhos. Na foto original, a foto está acompanhada da hashtag #elesim e o número da candidatura de Bolsonaro. Há comentários jocosos sobre a suposta homossexualidade do torturado, mas também críticas à imagem.

Logo após a postagem, diversos internautas replicaram a imagem criticando fortemente a atitude de Carlos Bolsonaro.

A deputada Maria do Rosário (PT) foi uma delas. Ela repudiou a iniciativa do vereador do Rio e disse que “a simulação de tortura divulgada pelo filho do ódio”. TSE, MPF e PGR: até quando a apologia à tortura e aos torturadores serão toleradas por vcs? Não basta os fascínoras de 64 estarem impunes, os canalhas de hoje continuarão a usar a violência? #EleNão ! Com todas as forças!”, afirmou a congressista em sua conta no Twitter.

A deputada Jandira Feghali (PCdoB) descreveu a ação de Carlos Bolsonaro como repugnante.

Já o deputado Jean Willys (PSOL), chocado com a foto, preferiu desfocar a imagem para publicar em sua página no Facebook e disse:

“Não estamos brincando, isto é muito grave! A imagem usada, além de repugnante, é uma ameaça de morte explícita contra aqueles que nos colocamos contra o fascista — uma ameaça de morte, pública, feita por um vereador que é filho de um deputado federal e candidato à presidência da República! Junto à foto do homem torturado, amarrado e assassinado, com o rosto coberto de sangue, Bolsonaro escreveu “Sobre pais que choram no chuveiro”. (…) Seja como for, a perversidade da família Bolsonaro é monstruosa. (…) Precisamos parar essa gente insana! O fascismo não pode tomar conta do Brasil! Ele não! Ele nunca!”.

A premiada jornalista Eliane Brum compartilhou a notícia e frisou que a atitude do vereador não poderia ficar impune.

Ainda na seara da política, o vereador Eduardo Suplicy (PT) falou: “É inadmissível a postagem feita por Carlos Bolsonaro. Tortura não é piada”. E a candidata a deputada Carina Vitral (PCdoB) mostrou indignação e disse: “Vejam que absurdo. Postaram essa foto, como forma de denunciar o que pode representar uma ditadura”.

O jornalista Ricardo Setti falou no Twitter que a postagem de Carlos Bolsonaro ?”é uma aberração repugnante que está capitulada no Código Penal: incitação ao homicídio. Cadê o Ministério Público? Em país decente, ele já estaria preso”.

Outros internautas também rechaçaram o post, entre os comentários sobre a foto estão: Os internautas reagiram à publicação, com comentários indignados sobre a foto polêmica. “Nem acredito!Isso não é crime? Apologia a tortura?” Outros faziam coro: “Que horror”; “Meu Deus….. cada dia pior… eles sao sádicos” .

“Não bastasse o pai, os filhos seguem disseminando o mesmo discurso de ódio. O país não precisa de mais ódio, nem de vocês”, afirmou uma internauta.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.