Florianópolis: Violência na Câmara de Vereadores, aprovam projeto mas há erros regimentais

Amanhã continuaremos repercutindo essa votação na Câmara de Vereadores, que se confirmada depois dos recursos, trará grandes prejuízos para servidores e população de Florianópolis.

Obrigado pela companhia.

Raul Fitipaldi

Para os vereadores da bancada popular a luta deve continuar e haveria um defeito regimental na votação. Os servidores municipais terão assembleia na próxima segunda-feira para avaliar a continuidade da luta. Servidor da Comcap, João Thomaz, foi preso e há instantes liberado.

Acompanhe ao vivo a informação da nossa companheira Sílvia Agostini.

Acompanhe a transmissão ao vivo da Câmara de Vereadores do vereador Afrânio Boppré – PSOL. A TV da Câmara continua fora do ar.

Acompanhe a transmissão do gabinete do vereador Marco José de Abreu – PSOL.

Com informes de Artur Capellette.

Vereador do MBL, Bruno Souza, PSB, faz fala provocando os vereadores do campo progressista chama a bancadas progressista de “confeitaria ideológica”. Ofende à Central Única de Trabalhadores. Também chamou a greve do Sintrasem de ilegal. Afirma que os vereadores progressistas falam “fake news” e ataca a bancada popular de corporativa. Ameaça com investigar o Sintrasem. Insulta agora o vereador Afrânio.

 Marco José de Abreu informa que há 5 mil pessoas se manifestando.

Vereador Afrânio Boppré: “Acabou a farra do Gean e seus amigos. Nós não aceitamos mais os compadrios.”

Eles apostaram que votando hoje não viria ninguém, e hoje a mobilização é maior do que ontem.

Vereador Marquito qualifica de inconstitucional o projeto de Lei e diz que na sua comissão de meio-ambiente só ele votou contra o projeto. Ele afirma que não aprova as OS em Florianópolis e vota pela inadmissibilidade do projeto.

Vereador Lino Peres, PT, da Comissão de Educação, também solicita que se retire o caráter de urgência, solicita que volte para análise jurídica e critica o método utilizado pela maioria da casa.

Vereador Pedrão, relator de comissão, solicita que se retire o caráter de urgência para aprovação do projeto enviado pelo Prefeito. Também afirma que a campanha do prefeito é desonesta e que o dinheiro gasto deve ser ressarcido ao erário.
Também criticou o fisiologismo da casa legislativa.

A manifestação ganha intensidade do lado da Câmara de Vereadores, com palavras de ordem, punhos em alto, de forma pacífica e muito barulhenta. Algumas pessoas que se manifestam contra o projeto já tem acesso ao plenário.

Mesmo antes da votação do projeto do prefeito Gean Loureiro, PMDB, a frente e o entorno da Cãmara de Vereadores de Florianópolis estão lotados. Servidores municipais, pais e mâes de estudantes, jovens estudantes, profissionais da saúde e população em geral, se manifesta de forma pacífica e intensa neste momento.

Mobilização começa a crescer na frente e no entorno da Câmara Municipal de Florianópolis. Neste momento as comissões do legislativo estariam avaliando em tempo recorde a viabilidade do projeto Gean Loureiro, PMDB.

Uma cerca metálica foi colocada entre o prédio da Câmara de Vereadores e os manifestantes.

O ambiente começa a ficar tenso nos arredores da Câmara de Vereadores de Florianópolis. Polícia chega ao local escoltando vereadores da situação e manifestantes denunciam ação policial desde o palanque instalado em uma das esquinas.

Informes e fotos de Artur Capellette, para Desacato.info

Manifestantes reúnem-se diante da Câmara de Vereadores. Sessão extraordinária acontece 16h, provavelmente. Antes, as Comissões permanentes devem emitir pareceres.

Cronograma das reuniões das comissões:

14:10 Reunião extraordinária da Comissão de Meio-Ambiente

14:30 Reunião extraordinária da Comissão de Ciência e Tecnologia, inovação e informática

14:30 Reunião extraordinária da Comissão de Saúde

15:00 Reunião extraordinária da Comissão de Constituição e Justiça

Entrevista de Artur Capellette ao vereador, Pedro de Assis Silvestre, Pedrão, do PP que expressa um protesto veemente para a ação do Executivo Municipal e pela forma como os seus colegas chegaram escoltados à casa legislativa, sendo que o protesto é pacífico e ainda tem pouca gente exercendo seu direito democrática de se posicionar frente ao projeto do prefeito Gean Loureiro, PMDB.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here