Feminicídio: 119 mulheres já foram assassinadas no Paraná em 2017

Por Jadson André e Maria Luiza Piccoli.

Nesta semana, três mulheres foram mortas na Grande Curitiba, em menos de 48 horas

Do início de 2017 até esta semana, 119 casos de feminicídio já foram registrados em todo o Paraná, aponta um levantamento feito pelo Ministério Público do Estado. Na Grande Curitiba, em menos de 48 horas (entre a noite de sábado, 21, e a manhã de segunda-feira, 23), três mulheres foram assassinadas.

Na noite de sábado, a jovem Andressa Jaqueline Mendes da Silva, 23 anos, foi assassinada a facadas pelo próprio marido, Cristiano Gonçalves Alves de Lara, 27, dentro de casa e na frente dos dois filhos, uma menina, de 6 anos, e um menino, de 3. O crime aconteceu no bairro Campo Comprido, em Curitiba.

Na manhã de segunda-feira, duas mulheres foram mortas a tiros, uma delas em Pinhais e a outra em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Esses três casos aumentam o alerta para os ataques contra a vida de vítimas do sexo feminino, que são considerados crimes hediondos e podem acarretar em entre 12 e 30 anos de prisão.

Com relação à morte de Andressa Silva, a Polícia Civil informou que está com as investigações bem adiantadas. A Divisão de Homicídios e Proteção (DHPP) já solicitou a prisão de Cristiano à justiça e ele é considerado foragido. O veículo usado pelo rapaz, para fugir após assassinar a esposa, foi encontrado em São José dos Pinhais e trazido para a sede da DHPP.

Andressa e Cristiano estavam juntos há seis anos e segundo parentes e amigos, o relacionamento foi bastante conturbado. Na noite de sábado, após barulho de discussão, uma vizinha relatou ter visto Cristiano sair apressado do condomínio, que fica na Rua Leandro Dacheux do Nascimento Júnior. Em seguida, a filha mais velha do casal procurou ajuda dos vizinhos afirmando que “o papai bateu na mamãe”.

A polícia foi acionada e o corpo de Andressa foi encontrado no chão da residência, coberto de sangue. A moça foi atingida por dois golpes de faca um na região das costas e outro no pescoço. No momento do crime, as crianças receberam assistência do Conselho Tutelar, e em seguida foram encaminhadas aos cuidados da avó materna.

Denunciar é a saída

“Conforme parentes e amigos do casal, nos seis anos em que ficaram juntos, as brigas e ameaças foram constantes. Ela teria se separado do rapaz algumas vezes, mas acabava voltando. Ele usava as filhas como argumento. Apesar desses relatos, não há nenhum registro de queixa dessa vítima em qualquer delegacia. Fica aqui o nosso recado, se o companheiro perder o respeito e ficar violento, é preciso denunciar”, enfatizou o delegado Osmar Feijó, da DHPP.

A polícia solicita apoio da população para localizar o criminoso. Para denunciar ligue: (41) 3360-1400 ou 0800-6431-121.

Execuções

Os outros dois crimes registrados na manhã de ontem são investigados pela polícia e as informações confirmadas ainda são bastante preliminares. O primeiro caso aconteceu por volta das 7h10, na Rua Humberto Alencar Castelo Branco, próximo ao Instituto Federal do Paraná (IFPR), em Pinhais

Conforme informações da PM, a mulher tinha aproximadamente cinco ferimentos por arma de fogo no rosto. As equipes foram acionadas por um morador da região que teria localizado a vítima. Até a noite de segunda-feira, a mulher não havia sido identificada.

A segunda ocorrência aconteceu por volta das 8h30, em São José dos Pinhais. Uma mulher, de aproximadamente 35 anos, identificada como Andreia Batista Ferreira Barreto, foi morta a tiros enquanto caminhava em frente a um estabelecimento comercial, na Avenida Guatupê, na Vila Jardim Alvorada.

De acordo com testemunhas que passavam pelo local, um homem com roupas de gari teria descido de um veículo Gol e disparado contra Andreia. A Guarda Municipal foi acionada e o caso segue sendo investigado pelo Polícia Civil.

Fonte: Compromisso e Atitude.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.