Feira do Vinil do Rio chega à 18º edição

Domingo, 13 de novembro, no Flamengo, homenageando Arthur Verocai, participação de BNegão e com lançamentos de livros temáticos.

Com entrada franca e cerca de 2000 frequentadores por edição, evento vai premiar com troféu o consagrado compositor, arranjador e maestro brasileiro, além de promover o lançamento do livro sobre o Rock Instrumental na América Latina, de Laércio Martins, e “Memórias do Baterista Canhoto”, de Romir Andrade, baterista dos discos de Roberto Carlos na Jovem Guarda. 

Depois de homenagear o grupo Azymuth, o cantor e compositor Carlos Dafé e o sambista Wilson das Neves, a Feira do Vinil do Rio de Janeiro chega à sua 18º edição, no dia 13 de novembro, domingo, retornando ao Instituto Bennett, desta vez homenageando o compositor, arranjador e maestro Arthur Verocai, responsável por arranjos de discos e apresentações de nomes como Ivan Lins, Jorge Ben Jor, Elizeth Cardoso, Gal Costa, Erasmo Carlos, Célia e Marcos Valle, dentre muitos outros. Além da homenagem – será entregue o Troféu Feira do Vinil ao homenageado – o evento vai promover também o lançamento de dois importantes livros: “História e Discografia Ilustrada do Rock Instrumental na América do Sul e as Raridades Vocais”, do pesquisador Laércio Pacheco Martins, e “Memórias do Baterista Canhoto”, de Romir Andrade, baterista que integrou os grupos The Angels e The Youngerters, tendo gravado todos os discos do Roberto Carlos na época da Jovem Guarda. Esta será a última edição do ano da Feira do Vinil do Rio – são duas edições anuais na Zona Sul e duas na Barra – e o evento costuma colocar, no Flamengo, em torno de 2000 visitantes a cada edição, graças ao empenho do produtor Marcelo Maldonado, do produtor artístico Marcello MBGroove (coletivo Vinil É Arte). A feira tem o apoio da Satisfaction Discos e, assim como as edições anteriores, será cobrada como entrada simbólica 1 kg de alimento, a ser doado para a Seara Espiritualista Falangeiros de Aruanda (SEFA), que desempenha um importante trabalho de caridade e distribuição de cestas básicas em comunidades carentes.

A homenagem vem em ótima ocasião para Verocai, uma vez que está finalizando a produção do seu novo álbum, com orquestra de cordas e sopro, que reunirá uma turma de pesos pesados da música brasileira, como Danilo Caymmi, Criolo, Mano Brown, Vinicius Cantaria e Seu Jorge, e será lançado pelo Selo Sesc até o fim do ano e deverá ganhar edição em LP. Importante lembrar ainda que o músico foi diretor musical e arranjador da TV Globo, em programas como Som Livre Exportação, Chico City e A grande família, e também atuou na música publicitária. Seu primeiro disco solo, de 1972, chamado Arthur Verocai, misturando jazz, bossa nova e música experimental, foi redescoberto 30 anos depois por produtores musicais, rappers e DJs que usaram samples de suas músicas. Nomes como Little Brother, J Rocc , MF Doom e Ludacris, entre outros. O LP alcançou níveis estratosféricos de preços em sites de venda de discos de vinil, após todo o burburinho pela recém descoberta de uma obra prima esquecida da MPB.

A 18º Feira do Vinil do Rio será especial também pelo lançamento de dois livros que propõem um belo resgate na história da música. O pesquisador Laércio Martins, em “História e Discografia Ilustrada do Rock Instrumental na América do Sul e as Raridades Vocais”, conseguiu fazer um importante levantamento arqueológico das bandas que acompanhavam grandes artistas e/ou que se lançaram em diferentes caminhos dentro do rock instrumental na América Latina. A pesquisa alcançou nomes de grupos como Copa Combo, The Phantoms, Os Cardinais, Os Terríveis, Raulzito e seus Panters,  El-Son7, The Pops, Luizinho e seus Dinamites. Laércio é colecionador e pesquisador do rock primitivo e, especialmente, instrumental dos anos 1960 e 1970, e escreveu artigos para a revista inglesa New Gandy Dancer, especializada em rock. Em 2001, lançou a 1º edição do livro “O rock and roll – Origem, mitos e o rock instrumental no Brasil e em outros países”, de sua pesquisa sobre o rock.

Por uma fantástica coincidência, o segundo livro a ser lançado no evento é “Memórias do Baterista Canhoto”, do baterista Romir Andrade, que integrou os grupos The Youngerters e The Angels, mencionados no livro de Laércio, tendo acompanhado e gravado praticamente todos os discos do Roberto Carlos do tempo da Jovem Guarda. Não por acaso o livro traz inúmeras curiosidades sobre as gravações com o Rei, memórias de quem vivenciou cada momento da Jovem Guarda,  do período compreendido pelo “antes” e o “durante” o seu “boom”, desde sua gestação com “Parei na Contramão até o LP “Jovem Guarda” (quase 50 faixas gravadas para colocação de voz pelos artistas em ascensão) – final dos anos 50, anos 60 ao limiar dos anos 70.

            No domingo também haverá o lançamento do disco “Joutro Mundo presents Brazilian Boogie e Disco Reworks vol. 1”,  do DJ e produtor Jonas Rocha, lançado pelo selo londrino Midnight Riot Recordings. Ao longo do dia, vários DJs apresentarão seus sets em vinil, dentre eles, a estreia no evento do rapper BNegão, quer se apresentará como “BNegão Bota Som”. Cerca de 60 expositores de todo o Brasil estarão presentes com discos e CDs Do Rio, estarão presentes, dentre outros, a Tropicália Discos, a Sempre Música, a Arquivo Musical, além da Livraria Baratos da Ribeiro e da Satisfaction. Os paulistas serão representados pela Locomotiva, Neves Record, Groovnet rec, Mafer Discos, Sensorial e Zóyd, só para citar algumas. A feira terá também estandes de venda de CDs, equipamentos de áudio, marcas de roupas e acessórios com esta temática.

SERVIÇO: 18° Feira de Discos de Vinil do Rio de Janeiro

Dia: 13 de novembro, domingo

Horário: das 11:30h às 20h

Local: Instituto Bennett

Endereço: Rua Marques de Abrantes, 55, Flamengo

Entrada: 1 kg de alimento não perecível

Classificação: livre

Informações: 21-98181-9733

000

00

0

1

Você precisa estar logado para postar um comentário Login