Ex-apresentadora negra do ‘Vídeo Show’ aponta racismo em sua demissão: “Chibatadas contemporâneas”

Alline Prado, primeira e única apresentadora negra do 'Vídeo Show', da Globo, fez uma postagem em que falou sobre sua demissão, no ano passado. De acordo com ela, a Globo teria justificado que precisaria de uma pessoa "mais neutra". "Não nos deixam ocupar a casa grande, por mais qualificados que sejamos", desabafou.

Foto: Reprodução

Já tem quase 3 mil curtidas a postagem desta quinta-feira (19) no Instagram de Alline Prado, ex-apresentadora do ‘Vídeo Show’, da Globo, falando sobre sua demissão.

Nesta semana o tradicional vespertino mudou de formato mas desde o final do ano passado que Alline, primeira e única mulher negra a apresentar o programa, deixou a equipe de apresentadores. Na rede social, a jovem resolveu desabafar e contar detalhes sobre sua demissão que, para ela, foi motivada pelo racismo.

Seu desabafo começou como resposta à postagem de uma internauta, que questionou a falta de diversidade do programa. Alline, então, revelou que a Globo a demitiu sob a justificativa de que precisavam de alguém “mais neutro” para a bancada e que precisavam “enxugar” a equipe – o que não aconteceu já que, atualmente, o grupo de apresentadores é maior que o de sua época.

“Apesar de ser a primeira negra a sentar na bancada do programa, fui demitida sob a justificativa de que, apesar de gostarem muito do meu trabalho, precisavam de alguém mais ‘neutro’ (sic) do que eu. E como estavam passando por uma crise, eles precisavam enxugar o quadro de repórteres (que depois da minha saída aumentou). Nunca falei disso publicamente, mas me dói demais ver isso acontecer. São as chibatadas contemporâneas. Não nos deixam ocupar a sala da casa grande, por mais qualificados que sejamos”, escreveu.

Através desta resposta à seguidora, Alline fez uma nova postagem em que reafirmou o caráter racista de sua demissão.”Não é nada contra as meninas do Vídeo Show. Inclusive as sigo e sou fã delas. É contra a colonização do nosso imaginário. Só podemos aparecer na TV se for em situação de  subserviência e sofrimento. E sempre como cota. É contra acharmos que não existe racismo. Que tudo isso é mimimi. Enquanto os não negros cruzarem os braços e fecharem seus olhos para isso, continuaremos a ser amordaçados, chicoteados, invisibilizados e mortos. Precisamos de aliados nessa luta. Precisamos de você!”, desabafou.

A Globo ainda não se pronunciou sobre as declarações de Alline.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.