“Eu sou o que eu quiser”

Transgênero“, “fluido”, “intersexual”: um novo léxico de gêneros nasce para descrever o fim do modelo binário homens/mulheres e acompanhar o surgimento de novas identidades sexuais.

Significativamente, a rede social Facebook agora deixa seus usuários livres para descreverem-se, em seu perfil, como “homem”, “mulher” ou uma série de outras caixas que correspondem a tantas nuances na identidade sexual. Conheça o significado dos novos termos em uso:

Sexo e gênero

O sexo é designado pela natureza, enquanto o gênero é o produto da sociedade. Simplificando, pode-se resumir, portanto, a diferença entre essas duas noções centrais que, em linguagem comum, são frequentemente misturadas.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), “a palavra ‘sexo’ refere-se às características biológicas e fisiológicas que diferenciam os homens das mulheres”, enquanto “a palavra ‘gênero’ é usada para se referir a papéis determinados socialmente, comportamentos, atividades e atributos que uma sociedade considera apropriados para homens e mulheres”.

Leia também:
Igreja acolhe gays que passaram por “curas” frustradas e exorcismos

O “gênero” deriva diretamente do inglês “gender”, que “se refere a uma dimensão cultural (…) à qual correspondem os termos, em português, de masculino e feminino“, observa a socióloga francesa Anne-Marie Daune-Richard.

Transgênero e cisgênero

Homem na pele de uma mulher/mulher na pele de um homem: o termo “transgênero” refere-se a uma pessoa que não se identifica com seu “gênero atribuído no nascimento”, em seu estado civil.

Esta pessoa pode, ou não, realizar um tratamento (hormonal, cirúrgico) para adequar seu “sentimento interno e pessoal de ser homem ou mulher” com sua identidade sexual.

A “transição” designa o período durante o qual a pessoa se envolve nessa transformação. Transsexual significa uma pessoa que completou a “transição”.

“Cisgênero” significa uma pessoa que se identifica com o sexo que lhe foi atribuído no nascimento. Esta é a maioria esmagadora dos casos. Note-se que “transgênero” e “cisgênero” são noções independentes da orientação sexual.

Fluido e queer

“Fluido” (ou “gênero-fluido”) designa uma pessoa cuja identidade sexual é variável, que passa do masculino ao feminino ou até mesmo ao gênero neutro.

Queer (originalmente um insulto em inglês que significa “bizarro”, mas que a comunidade LGBT ressignificou) se refere a uma pessoa que não adere à divisão binária tradicional de gêneros.

Intersexo e sexo neutro

“Intersexo” refere-se a uma pessoa que não é homem nem mulher, que apresenta características anatômicas, cromossômicas ou hormonais que não estão estritamente relacionadas a qualquer um dos dois sexos.

O número de pessoas intersexuadas é difícil de avaliar: tudo depende dos critérios utilizados. A questão é debatida entre especialistas, e estimativas americanas variam de 0,018% a 1,7% dos nascimentos.

A tradução de intersexo no registro civil seria “sexo neutro”. Aceito em países como o Canadá e a Austrália, este “terceiro sexo” foi finalmente rejeitado na França pela Justiça, apesar de um primeiro julgamento favorável em outubro de 2015.

Assexual e LGBT+

“Assexual” significa uma pessoa que não possui atração sexual pelos outros. Isso não proíbe relacionamentos românticos, sem sexo. Cerca de 1% da população entraria nessa categoria, de acordo com um estudo canadense baseado em estatísticas britânicas.

A apelação “comunidade gay” deu lugar ao “LGBT” para abranger “lésbicas, gays, bissexuais e trans”. Mas hoje é preferível o acrônimo “LGBT+” para incluir “mais” sensibilidades: queer, intersexo, assexuado, agênero (que não se identifica com nenhum gênero) ou pansexual (que é atraído por todos os gêneros).


Fonte: Carta Capital

1 COMENTÁRIO

  1. Eu por exemplo, somente nasci moreno. Mas tem vezes que me sinto um germânico puro, outras vezes um asiático nato, um italiano, um índio americano, um índio africano, um nórdico. Depende a hora e o momento. Fico fluindo pelas raças. Para mim isso é normal. Quem tem o poder de dizer que estou errado? Não é a minha cor de pele, determinada pelos meus genes, que vai determinar ou impor que eu sou moreno. É a minha consciência momentânea. Fora isso, é imposição da sociedade alguém dizer que sou moreno e vou morrer moreno. Michael Jackson só nasceu negro, mas ele se achava branco, pois na consciência dele, ele achava que ser branco era melhor. Estava errado isso? Jamais, pois todo mundo pode ser o que quiser. O resto é imposição da sociedade. As vezes sou católico, as vezes sou evangélico, sou ateu, sou umbandista, fico fluindo de religião também. Afinal, sou livre. Por isso é bom ser de esquerda, pois se está sempre livre para ser o que quiser. ´Sou a favor da ideologia de gênero e contra a imposição do sexo como construção social. Quando a criança nasce menina, pais quadrados e calhordas ensinam-nA a ser feminina, com coisas voltadas para ela se tornar uma mulher. Quando a criança nasce menino, pais quadrados e calhordas ensinam-nO a ser masculino, com coisas voltadas para ele se tornar um homem . Tá errado isso. Os pais tem de que serem neutros na educação sexual da criança, até o momento dela ter o discernimento do gênero sexual a seguir, independente do fator fisiológico dela, se ela é XX ou XY. O resto, é construção social. Um dia ela usa vestido, outro dia um terno, outro dia um shortinho, outro dia usa batom, outro dia usa gorro, outro dia ela namora um homem, outro dia ela beija uma mulher, outro dia, outro dia, outro dia. A vida é dela. E está errado isso? Não.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.