Encerra hoje a conferência nacional de educação escolar indígena, etapa regional

Publicado em: 05/10/2017 às 13:57
Encerra hoje a conferência nacional de educação escolar indígena, etapa regional

Por Claudia Weinman, para Desacato. info. 

Lideranças indígenas durante a atividade. Foto: Jacson Santana.

Desde terça-feira, dia 03 de outubro, lideranças indígenas dos três estados do Sul do Brasil (Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul), também de São Paulo e Rio de Janeiro, participam da Conferência nacional de educação escolar indígena, etapa regional, em Florianópolis. A atividade é uma realização do Ministério da Educação e tem como objetivo elaborar propostas de melhorias para a qualidade das políticas públicas da educação com base nas realidades dos povos indígenas.  

Atividade realizada nesta semana em Florianópolis. Foto: Jacson Santana.

A Educadora Kaingang Vanisse Domingos, da aldeia Toldo Chimbangue de Chapecó/SC, explicou que desde terça-feira estão sendo discutidos cinco eixos, os quais, serão levados para um momento de plenária em Brasília no mês de novembro. “Estamos conversando sobre a questão da gestão nas escolas indígenas, práticas pedagógicas, formação dos professores indígenas, ensino superior e acredito que estão sendo produtivas essas discussões pois são pertinentes e importantes para que o processo da educação indígena se construa. Já percebemos avanços significativos desde que a educação indígena começou a ser discutida, isso porque envolve os saberes indígenas e a valorização deles”, explicou.  

O representante do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) da região Sul, Jacson Santana, falou ainda sobre a necessidade de discutir as propostas junto com as lideranças indígenas. Segundo ele, participam dessa conferência em Florianópolis aproximadamente 180 pessoas. “Os professores e agentes de educação tiveram nessa semana a oportunidade de participar desse momento e pensar propostas que vão sendo encaminhadas para apresentá-las e discuti-las na plenária prevista para novembro. É importante ressaltar que o tema deve ser discutido com quem vive a realidade, no caso, com os indígenas, conhecedores dos desafios e necessidades que envolvem as comunidades indígenas”, finalizou.

Fotos: Jacson Santana – CIMI Sul. 

 

Deixe uma resposta