‘Embraer-Boeing’ prepara demissão em massa após férias coletivas

A Embraer colocou nesta segunda-feira (6) em férias coletivas 16 mil trabalhadores das suas unidades. A decisão faz parte de reestruturação interna da empresa no processo de incorporação da Embraer pela Boeing.

O clima é de tensão entre os trabalhadores da Embraer que receiam um processo de demissão em massa após as férias coletivas, com a conclusão do processo de aquisição da empresa pela Boeing.

As cinco plantas da Embraer do Vale do Paraíba e unidades de Sorocaba (SP), Gavião Peixoto (SP), Botucatu (SP), Campinas (SP), Belo Horizonte e Florianópolis estão com a produção totalmente paralisadas.

Leia mais: Governo Bolsonaro convoca Morgan Stanley para iniciar privatização da Caixa

Os trabalhadores da empresa já estão em recesso desde o fim de dezembro e devem voltar ao trabalho no dia 21 de janeiro.

Segundo o sindicato da categoria, o temor por uma demissão em massa atinge todos os setores da fábrica, tanto dos trabalhadores que permancerão na Embraer e quanto daqueles que passarão para a multinacional norte-americana.

Na negociação, a Boeing ficará com a área de aviação comercial da Embraer, que é considerada o “filet mignon” da fabricante brasileira. O setor é responsável por 70% do faturamento da empresa e por mais de 80% de seus lucros.

O negócio ainda depende da aprovação de órgãos como a Comissão Europeia e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

No mês de dezembro, já foram demitidos cerca de 300 trabalhadores, especialmente da aviação executiva – área que continuará com a Embraer após a venda da empresa para a Boeing.

*Com informações do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.