Em reunião, representantes da Prefeitura pedem que servidores definam grupo para iniciar negociações 

Publicado em: 11/09/2017 às 11:44
Assembleia dos servidores realizada no dia 05 de setembro. Arquivo Sisme.

Por Claudia Weinman, para Desacato. info. 

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Miguel do Oeste/SC realizou na manhã desta segunda-feira, dia 11 de setembro de 2017, a primeira reunião com representantes da Prefeitura. Conforme a Presidenta do Sindicato, Vaine Plautz, uma comissão com 30 integrantes foi até o salão nobre da Prefeitura para fazer uma explanação de suas pautas.  

Vaine disse que foi solicitada à comissão a criação de um grupo menor para iniciar o processo de conversação para às futuras negociações. “Eles ouviram a gente e solicitaram que fizéssemos um grupo menor para começar as negociações com eles. Não definimos data para nova reunião porque vamos aguardar o retorno do Prefeito na próxima semana, já que ele encontra-se em viagem”, disse.  

 Estado de Greve 

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Miguel do Oeste/SC anunciou oficialmente por meio de sua página no facebook, no último dia 06 de setembro, após assembleia geral no dia 05, aderirem ao estado de greve. Conforme Vaine Plautz, os servidores exigem respeito e valorização por parte do poder público municipal. Na nota divulgada via rede social constam as pautas que estão em negociação. Confira:

 SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SÃO MIGUEL DO OESTE DECLARAM ESTADO DE GREVE 

No dia 5 de setembro de 2017, os Servidores Públicos Municipais de São Miguel do Oeste, reunidos em Assembleia Geral, analisaram e debateram os projetos de lei Complementar 0012/2017, 0013/2017, 0014/2017 de autoria do Prefeito Trevisan, que impõe uma reforma administrativa com reflexos salariais e funcionais.  

Os Servidores Públicos Municipais não concordam com a política de retirada de direitos imposta pelo Governo Trevisan e questionam a coerência das ações do prefeito, pois, se de um lado alega necessidade de economizar e cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal, de outro cria mecanismos de privilégio para alguns “apadrinhados políticos”, comissionados, com gratificações substanciosas, se comparados aos baixos salários dos demais funcionários.  

Os servidores públicos repudiaram também a atitude arbitrária do Governo Trevisan que retirou o adicional de insalubridade sem ter sequer dialogado com a categoria, com desconto imediato na folha, causando prejuízos incomensuráveis a pais e mães de família que se viram sem os proventos necessários para saldar seus compromissos, inclusive permanecendo em condições insalubres.  

O desmonte dos direitos atinge, ainda, a progressão por mérito, suspensa por Decreto, em outra atitude que desconsidera totalmente a história e a dedicação dos servidores municipais. Os servidores públicos municipais EXIGEM do Governo Trevisan, o respeito àqueles que fazem a máquina pública funcionar. Respeitar os servidores significa respeitar toda a população que necessita e usufrui dos serviços públicos de qualidade, os quais serão prestados por servidores que sejam igualmente valorizados e respeitados nos seus direitos. A Categoria CONCLAMA aos Vereadores e à comunidade miguel-oestina que se sensibilize e apoie a causa dos servidores e exige a imediata retirada dos mencionados Projetos de Lei Complementar. Em decisão legítima tomada em Assembleia, DECLARA ESTADO DE GREVE e APOIA incondicionalmente todas as ações do SISME – Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Miguel do Oeste/SC, e a imediata retirada dos Projetos que retiram e/ou alteram direitos dos servidores públicos. 

SISME-Sindicato dos Servidores Públicos Municipais do Extremo Oeste de Santa Catarina
NENHUM DIREITO A MENOS! 

Mais informações: http://desacato.info/sao-miguel-do-oestesc-servidores-em-estado-de-greve-farao-primeira-reuniao-de-negociacao-na-segunda-feira-dia-11/.

 

 

Deixe uma resposta