Em primeira derrota de Tite pela seleção, transmissão é atração à parte

2017-06-09 10:37
Em um clássico movimentado, a transmissão de Brasil x Argentina foi um dos principais assuntos das redes sociais (Foto: Divulgação/CBF)
Em um clássico movimentado, a transmissão de Brasil x Argentina foi um dos principais assuntos das redes sociais (Foto: Divulgação/CBF)

Revés contra a Argentina não foi transmitida pela Rede Globo, mas pelas TVs Brasil e Cultura. Amistoso também pôde ser visto pelo canal da CBF no Facebook

Um dos maiores clássicos do futebol mundial, o duelo entre Brasil e Argentina – que terminou com vitória argentina por 1 x 0 – na manhã desta sexta (9), chamou a atenção não somente pelo jogo em si, mas pelo televisionamento do amistoso. Sem contar com sua tradicional parceira, a Rede Globo, a CBF foi responsável pela transmissão, que foi feita pelas TVs Brasil e Cultura, além do Facebook.

A entidade utilizou as redes sociais para divulgar a partida, que foi ignorada pelo Jornal Nacional em sua edição da noite de quinta (8). A Confederação fez um vídeo com o técnico Tite, talvez a maior estrela da equipe hoje, e alguns dos jogadores na véspera do embate.

No horário do início do jogo, seis dos dez principais assuntos do Trending Topics Brasil no Twitter se relacionavam com o clássico sul-americano, com a expressão “Brasil x Argentina” no topo. “TV Brasil” também ficou boa parte dos 90 minutos de jogo entre os assuntos mais comentados da rede. Não faltou bom humor para os internautas que comentaram a respeito da “novidade” de um jogo da seleção não ser transmitido pela Globo.

“Brasil x Argentina, as 7 da manhã, na TV Cultura com comentários de Denilson e Pelé, existe algo mais alternativo?”, disse um usuário do Twitter. “O Tite é o único cara a unir o Brasil às 7:00 da manhã na TV Cultura ou nas lives do Facebook pra ver a seleção jogar sem Neymar. Que homem!”, emendou outro.

Segundo o diário argentino Olé!, o ex-jogador argentino Diego Maradona teria sido convidado para comentar o clássico junto com Pelé, com quem protagonizou diversas discussões polêmicas. No entanto, ele teria negado o convite em função de seu compromisso com o Al-Fujairah, seu novo clube nos Emirados Árabes.

E o jogo? Como foi Brasil x Argentina

O Brasil iniciou a partida pressionando o adversário desde a saída de bola, como se tornou característica da equipe de Tite. Contudo, na estreia do técnico Jorge Sampaoli, a Argentina também adotou a marcação no campo adversário como tática, tanto que o primeiro lance de perigo foi do time portenho, com um roubada de bola que ficou com o atacante Di María, do Paris Saint-Germain. Em finalização forte, ele acertou a trave direita de Weverton aos 5.

A partir daí, a partida seguiu bem disputada no meio de campo, mas foi a seleção brasileira quem chegou com mais perigo. Aos 21, em rápido contra-ataque, Willian serviu Philippe Coutinho, ambos quase no ‘mano a mano’ com a defesa adversária. O atacante do Liverpool chegou a driblar o goleiro Romero, mas foi atrapalhado na hora da finalização.

Melhor na parte ofensiva, o Brasil teve sua área ameaçada em lances pelos lados do campo na parte final da primeira etapa, como em um chute de fora da área de Di María, aos 40, que obrigou Weverton a rebater para escanteio. Dois minutos depois, a trama de ataque argentino teve participação do jogador do PSG, de um até então apagado Messi, e de Dybala, da Inter de Milão, que finalizou de frente para o gol brasileiro, mas para fora.

A pressão argentina deu resultado e o gol saiu após um lance no lado direito da defesa brasileira, por onde a equipe de Sampaoli mais levou perigo na etapa inicial. Di María recebeu no escanteio curto e cruzou para Otamendi cabecear na trave direita de Weverton. Na sobra, Mercado apenas empurrou pra as redes.

Na volta para o segundo tempo, a seleção tentou imprimir mais velocidade na transição da defesa para o ataque, aparecendo mais o futebol de Philippe Coutinho. Pelo lado esquerdo, ele levou perigo em duas finalizações, aos 14 e 15. Aos 17, em um lance incrível, Gabriel Jesus perdeu o gol após driblar o goleiro e finalizar na trave. No rebote, Willian carimbou a trave esquerda argentina mesmo com Romero quase batido na jogada.

Aos 21, Tite colocou Douglas Costa no lugar de Renato Augusto, e aos 27 sacou Fagner para a entrada de Rafinha. Sem acertar contra-ataques, o time argentino se limitava a se defender, acuado no próprio campo.

O técnico brasileiro mexeu de novo aos 35, quando substituiu Paulinho por Giuliano, tornando a formação do time ainda mais ofensiva, mas, a essa altura, sem produzir grande pressão sobre o adversário. Aos 46, Taison entrou no lugar de Gabriel Jesus, sacado por conta de uma contusão, mas com pouco tempo, nada fez na partida.

Mesmo com grande volume de jogo e com inúmeras chances criadas, a seleção conheceu sua primeira derrota sob o comando de Tite, após nove vitórias em nove jogos. O time volta a campo na próxima terça-feira (13), no mesmo horário, contra a Austrália.

Fonte: Rede Brasil Atual.

Deixe uma resposta