Em Carta Aberta, estudantes de Letras convidam mais cursos a ocuparem a UFRGS

ufrgs-letras

Por Adriele Albuquerque, de Porto Alegre, RS.

No dia 29 de outubro, os estudantes organizados na Ocupação do Prédio de Aulas do curso de Letras da UFRGS lançaram uma Carta Aberta aos estudantes da universidade. Os discentes ocupam seu local de estudo desde a última quarta-feira (26.10).

Na Carta, demarcam a difícil situação política por que passamos no Brasil, dando especial destaque à PEC 241 e à MP do Ensino Médio, decretos contra os quais lutam. “Estão querendo nos impor a PEC do Fim do Mundo e a MP da Reforma do Ensino Médio. O nosso futuro está sendo congelado e não há perspectiva se não confiarmos nas nossas forças e lutarmos”, afirmam.

Por essa razão, no texto, convidam seus colegas a aderirem à onda de ocupações, que tem sido a forma de resistência utilizada por milhares de alunos, em todo o país. “Somente a resistência nos nossos locais de estudo e nas ruas derrotará o projeto de educação privatista do governo Temer. Essa semana será decisiva, por isso convidamos os colegas de todos os cursos a realizarem debates e Assembleias, pautando o método de ocupação” – ressaltam.

Após a ocupação do Prédio da Letras, o Campus Litoral Norte, por iniciativa dos estudantes do curso de Biologia Marinha, Bacharelado Interdisciplinar e Educação no Campo, também foi ocupado.

Na próxima semana, diversas assembleias vão ocorrer na universidade. Na segunda-feira (31.10), já pela manhã, os cursos de Física, Química, Matemática, Geologia e Engenharias, em Assembleia Unificada, vão debater sua posição em relação ao tema. À noite, será a vez dos discentes da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, bem como dos estudantes dos cursos de Filosofia, História, Sociologia e Políticas Públicas, que também irão debater os rumos de sua mobilização.

Os discentes da Letras, em sua Carta, colocam-se à disposição de seus colegas para darem aulas públicas sobre a MP do Ensino Médio, assim como auxiliarem na discussão da PEC 241. Por meio das ocupações, entendem que é a hora de a UFRGS entrar na cena nacional contra Temer e seus retrocessos.

Leia abaixo a Carta Aberta na íntegra:

CARTA ABERTA AOS ESTUDANTES DA UFRGS
Ocupe seu curso! Ocupe a UFRGS!

Colegas,
Vivemos um período turbulento na história do nosso país. A cada dia, mais ataques são aprovados nas costas da juventude e dos trabalhadores: estão querendo nos impor a PEC do Fim do Mundo e a MP da Reforma do Ensino Médio. O nosso futuro está sendo congelado e não há perspectiva se não confiarmos nas nossas forças e lutarmos. Compreendemos que agora é a hora decisiva de os estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul aumentarem seu polo de resistência. Hoje, por todo o país, já temos mais de 1300 unidades de ensino ocupadas, sendo, muitas delas, universidades e institutos federais, seguindo o exemplo dos secundaristas.

O último dia 24 foi um primeiro grito da resistência: em unidade com os trabalhadores e secundaristas, construímos um grande ato e mobilizações pela cidade, que foram duramente reprimidos pela Brigada Militar. Mas é preciso mais: é preciso aprofundar os processos de luta e ousar no método. Foi por essa razão que nós, estudantes de Letras, na última quarta-feira, decidimos pela ocupação do nosso Prédio de Aulas. Sabemos que o nosso movimento não tem fim em si mesmo e não pode ficar restrito ao curso de Letras: é preciso que a nossa mobilização se estenda aos outros cursos da Universidade. Somente a resistência nos nossos locais de estudo e nas ruas derrotará o projeto de educação privatista do governo Temer.

Essa semana será decisiva, por isso convidamos os colegas de todos os cursos a realizarem debates e Assembleias, pautando o método de ocupação. Os estudantes organizados na Ocupação da Letras – UFRGS estão à disposição para construir com vocês a realização de debates em suas unidades, com seu corpo discente, prioritariamente.

Entendemos que a unidade com os trabalhadores da universidade é fundamental, mas que, nesse processo, deverão ser os estudantes aqueles a darem a largada no aprofundamento dos processos de luta na UFRGS. Pelo papel que uma universidade federal deve cumprir, de estar socialmente referenciada, podemos e devemos contribuir para jogar a correlação de forças nacional mais a nosso favor.

Nossa luta está expandindo! O Campus Litoral Norte já foi ocupado pelos colegas dos cursos de Biologia Marinha, Bacharelado Interdisciplinar e Educação do Campo. Em relação aos cursos que já estão iniciando articulações, fazemos um chamado aos estudantes:

– do Direito e das Artes, que já cumpriram um importante papel em outras lutas internas e externas à UFRGS, como, por exemplo, na luta contra o golpe e na defesa das cotas;
– aos estudantes da Arquitetura e do Design, que tem potencial para aprofundar a mobilização no Campus Centro;
– do IFCH, da Geografia, da Geologia, da Biologia, da Física, da Química, da Matemática e das Engenharias, para a ampliação da mobilização no Campus do Vale;
– em especial, da Pedagogia, pela importância da Faculdade de Educação, que é um centro de encontro de futuros educadores. Por isso mesmo, pode ser um símbolo de resistência contra a Escola Com Mordaça e a MP do Ensino Médio;
– da Educação Física, da Fisioterapia e da Dança, que podem expandir o movimento para o Campus Olímpico;
– da Fabico, que podem levar a mobilização para o Campus Saúde.

Vamos juntos. Ocupe a UFRGS! Ocupe seu curso!
Assina esta carta:
Ocupa Letras – UFRGS

Fonte: Esquerda Online.

Você precisa estar logado para postar um comentário Login