Educação: o desejo de compartilhar e de saber

Escola Estadual de Ensino Fundamental Gonçalves Dias, no Bairro Passo D’Areia, zona norte de Porto Alegre (RS). Foto recente de onde estudei até os 6 anos, idade em que me mudei com a família para Santa Catarina. Não posso dizer que não me emociono ,só em ver essa imagem. Foto: Maurício dos Santos

Por Maurício dos Santos, para Desacato.info.

As múltiplas maneiras de aprender, saber e transmitir conhecimento ficam mais evidentes tanto com a teoria Psicogenética de Piaget, quanto à teoria sócio-histórica de Vygotsky. Os conceitos desses dois autores, ainda tão contemporâneos, repercutem no contexto educacional e social, tendo como elemento cêntrico a atitude interacionista dos indivíduos com o meio. Como diria o psicanalista e intelectual francês Jacques Lacan, “o desejo de aprender é sempre o desejo pelo outro”.

QUEM FORAM ELES:

Lev Semenovitch Vygotsky (1896-1934), foi um cientista bielorrusso. Pensador importante em sua área e época, foi pioneiro no conceito de que o desenvolvimento intelectual das crianças ocorre em função das interações sociais e condições de vida.Piaget (1896-1980) foi um epistemólogo suíço, considerado um dos mais importantes pensadores do século XX. O cientista suíço revolucionou o modo de encarar a educação de crianças ao mostrar que elas não pensam como os adultos e constroem o próprio aprendizado.

Foi o nome mais influente no campo da educação durante a segunda metade do século 20, a ponto de quase se tornar sinônimo de pedagogia.

Não existe, entretanto, um método Piaget, como ele próprio gostava de frisar. Ele nunca atuou como pedagogo. Antes de mais nada, Piaget foi biólogo e dedicou a vida a submeter à observação científica rigorosa o processo de aquisição de conhecimento pelo ser humano, particularmente a criança.

Vygotsky nos permite uma maior valorização do contexto sócio-cultural dos alunos e de seus níveis de elaboração de conhecimentos. Trata-se de um contato mais intenso e prazeroso com o universo da leitura e da escrita. Esse contato, intenso e prazeroso, diz respeito à prática da leitura no sentido amplo, superando, inclusive, o caráter de leitura descritiva das narrações cronológicas do passado. O exercício dessa postura metodológica tem relações diretas com a concepção do papel docente como mediador e equilibrador de situações de aprendizagem e de conflitos.

A interdisciplinaridade é o processo que envolve a integração e engajamento de educadores num trabalho conjunto de interação das disciplinas do currículo escolar entre si e com a realidade, de modo a superar a fragmentação do ensino, objetivando a formação integral do aluno, a fim de que possam exercer criticamente a cidadania, mediante uma visão global de mundo e serem capazes de enfrentar os problemas complexos, amplos e globais da realidade atual.

Piaget, ao longo de suas obras, assevera que o sujeito não é alguém que espera que o conhecimento seja transmitido a ele por um ato de benevolência. O sujeito aprende através de suas próprias ações sobre o objeto de estudo, enquanto sujeito autônomo, que constrói suas próprias categorias de pensamento. Aprende, inclusive, com seus erros.

ALGUMAS DAS
 OBRAS DOS AUTORES:

“A Formação Social da Mente” (Vygotsky)

“Imaginação e Criatividade na Infância” (Vygotsky)

“Pensamento e Linguagem” (Vygotsky)

“Psicologia e Pedagogia” (Piaget)

” O nascimento da Inteligência na Criança” (Piaget)

“O Juízo Moral na Criança” (Piaget)

Maurício dos Santos é jornalista e Professor de Redação. Pós-Graduação: Marketing (2013) e Arteterapia (2015). Autor do livro: Acima da Cabeça só existe o Coração.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.