Editorial

Publicado em: 26/12/2013 às 09:00

26 de dezembro de 2013.

Termina 2013 sem o Comandante Hugo Chávez Frías e Nelson Mandela. O significado dessas perdas marca esta etapa de reacomodação política, econômica e social. A perda do líder bolivariano ressentiu os avanços da América Latina e o Caribe, no sentido da independência definitiva e a soberania política da Nossa América e de outras regiões onde apartheids, discriminação, agressão ambiental, desrespeito aos povos originários e às minorais, recuperaram terreno com o enfraquecimento das posições.

No Brasil a direita continua arrefecendo com discursos genéricos contra a corrupção sem acrescentar proposta alguma que viabilize a justiça social, pelo contrário, retroalimenta sua condição de classe avassalando no Congresso e na Justiça o direito das maiorias. O governo de Dilma brinca de equilibrista buscando governabilidade, e para isso protege o interesse dos poderosos em diversas áreas sensíveis, como a ocupação do solo e a privatização de serviços essenciais. Por outro lado, mantém o eleitorado com medidas razoáveis que atingem positivamente, mas, de forma muito insuficiente, os setores mais vulneráveis da sociedade, sustentando a ilusão de que o crescimento da classe média é parte da solução social do Brasil.

Nesse cenário, nossa Cooperativa de Produção em Comunicação e Cultura, teve um ano de consolidação. Ano duro. Altos e baixos acompanharam este período, tanto pela inexperiência coletiva, como pela falta de hábito, por parte da sociedade local, para melhor utilizar A Outra Informação.

Continuamos argumentando um futuro transformador, inclusivo e justo. São milhares os leitores de Desacato que não cessa de crescer em número de seguidores. Obrigado a [email protected], amigos, colaboradores, à classe trabalhadora, os estudantes e aos irmãos da Nossa América, que a diário nos privilegiam, nos ensinam e renovam nossa esperança e nossa convicção do caminho a seguir. Feliz 2014 a [email protected]

Deixe uma resposta