Editorial

Florianópolis, 17 de janeiro de 2015.

Os estudantes e moradores de Florianópolis começaram a reagir de forma mais contundente contra o abuso das empresas unidas em oligopólio e a impunidade que a elas permite um poder público omisso e conivente. O Movimento Passe Livre não é nem acaso nem onda episódica. A Capital catarinense tem sido modelo de luta para todo o Brasil em matéria de transporte público, especialmente entre 1999 até 2005. Agora, parece retomar seu fôlego numa queda de braço metafórica entre: o “fênix popular” que se reergueu e o Fênix oligopólico que, a própria prefeitura e o legislativo municipal, alimentaram ideologicamente.

O direito de ir e vir do cidadão está consagrado na Constituição, logo, todos os debates em torno devem estar orientados por algumas percepções básicas. Havendo crianças, estudantes em idade de cursar para bem próprio e da Cidade, idosos em tempo de descansar e trabalhadores desempregados, além de trabalhadores empregados sem direitos sociais básicos, o transporte de passageiros deveria ser um serviço executado diretamente pelo Estado, não concessionável e gratuito.

A população cansou-se de especular com cifras formatadoras de preços que “explicam” as tarifas, tanto como dos engarrafamentos por excesso de transporte individual.

Florianópolis e sua Mobilidade estão submetidas ao interesse do capital, a impunidade e o desmando empresarial. Não é por culpa de algumas centenas de cobradores que sobe a tarifa, é porque o transporte de passageiros é privado e precisa acumular mais e mais lucro. Não existe conceito real de serviço no capitalismo. Não lhe é inerente a preocupação pelo usuário. O lucro crescente é a lógica que determina o ambiente das decisões.

Os estudantes e a população em geral de Florianópolis têm que consolidar a aposta: ou se conquista um Transporte Público, Universal, Gratuito e de Qualidade, ou se marchará até que a Mobilidade Social plena esteja garantida, e isso vai além do preço da passagem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.