Editorial 27 de janeiro de 2015

Jornalismo internacionalista Florianópolis, 27 de janeiro de 2015.

Os últimos dias foram ricos para nosso veículo. Cobrimos, aprendemos e verificamos. Confirmamos a procedência de termos formado uma cooperativa a partir de Desacato.info, há já 3 anos. A dúvida entre militância social e jornalismo profissional começa a dissipar-se no exercício próprio das ações. O uso das novas tecnologias e novas linguagens não nos adere a modismos circunstanciais, de pouca vida e conteúdo só de oportunidade. A rua é um campo de militância pessoal e informação profissional, preservando as técnicas da nossa profissão, que não desapareceu como presumem os tecnólogos, nem se depreciou por conta da virtualidade e a “opinologia” transbordante.

Na cobertura que Fernanda Pessoa e Ana Luiza Lucena vêm fazendo das mobilizações do Ato contra o Aumento da Tarifa, e na cobertura internacional feita da Grécia, com os companheiros Joshua Tartakovsky e Kevin Ovenden, todos sob a direção da Tali Feld Gleiser, na Rep. Dominicana, afirmamos os ensinamentos de coberturas anteriores. Espalhados pelo Mundo não perdemos, ao contrário, recuperamos e consolidamos nossa condição de Classe profissional e social, e vivenciamos a Luta Internacional dos Trabalhadores.

Porém, há uma distância muitíssimo grande entre a percepção geral que se tem no Brasil, se comparado com o resto da América Latina, sobre a atualidade dessa luta internacionalista. Nota-se indiferença, tanto na classe jornalística, como nos movimentos sociais. Mistura-se um nacionalismo umbilical e uma lealdade escravizante com os meios da oligarquia, responsáveis por tentar tornar o Brasil num país com propensão a ignorar, como os Estados Unidos.

Os jornalistas temos muita responsabilidade nessa apatia que os leitores têm sobre o que acontece fora do Brasil. Alimentamos um país redutor de consciências. Desacato.info não se dispõe a ser cúmplice desse desvio. Tal compromisso é a chave que viabiliza um jornalismo que pode ser ativista e militante, mas nunca deixa de ser jornalismo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.