Situação de emergência nas UPAs de Florianópolis

Publicado em: 03/02/2014 às 13:09
Situação de emergência nas UPAs de Florianópolis

upa_site

Ato público por  melhores condições de trabalho

Nesta segunda-feira (03/02), às 18h, os servidores municipais da saúde lotados nas UPAs (Unidade de Pronto Atendimento de Florianópolis) realizarão um ato público na UPA Norte (Canasvieiras) para dialogar com a população e denunciar as condições de trabalho nessas unidades.

As UPAs Norte e Sul (Unidade de Pronto Atendimento) atendem a população diariamente em todas as suas necessidades 24 horas por dia, nos sete dias da semana.
As UPAs devem resolver mais de 90% dos problemas de urgência e emergência das suas regiões, afinal de contas foi para isso que elas foram criadas.
O Ministério da Saúde classifica uma UPA de acordo com seu tamanho e serviços prestados em porte I, II e III. Segundo a Secretaria de Saúde de Florianópolis as UPAs são de porte II. Neste porte, pelos critérios, elas deveriam atender até 300 pacientes por dia e ter de 9 a 12 leitos para observação.

Quando a população chega numa UPA e precisa esperar horas por atendimento, e todo mundo sabe que não é fácil esperar quando se está doente, uma das explicações para demora está no porte das UPAS. Elas atendem muito mais de 300 pessoas, e são projetadas para atender no máximo 300, ou seja, falta trabalhador, falta estrutura física e é por isso que não se dá conta e a fila demora.

Para piorar, a Prefeitura de Florianópolis submete esses trabalhadores a uma jornada duríssima e mesmo depois de cinco anos de funcionamento ainda não regulamentou a jornada de trabalho. Como manter um atendimento de qualidade e ágil, se os trabalhadores são insuficientes, trabalham mais do que deveriam e a estrutura está defasada?
Outro problema frequente são os equipamentos quebrados e a falta de materiais, já faltou até luva para a realização de procedimentos.

No verão a coisa piora, nessa época do ano a população aumenta bastante na cidade e as UPAs passam a atender uma população três vezes maior COM A MESMA EQUIPE. Em janeiro, teve registro de dias em que o número de atendimentos em 24 horas chegou a mais de mil em uma só UPA!

Por isso, os trabalhadores reivindicam melhorias na estrutura física e mais trabalhadores para poder melhorar o atendimento da população nas UPAs:

1-As UPAs precisam ser classificadas como porte III, mais estrutura para o atendimento;
2-Mais trabalhadores: médicos, enfermeiros, dentistas, técnicos de enfermagem, técnicos de radiologia, auxiliares de consultório dentário, administrativos e motoristas;
3-Chega de falta de materiais e equipamentos quebrados;
4-Regulamentação dos Plantões nas UPAs Já!

Fonte: http://www.sintrasem.org.br/content/situa%C3%A7%C3%A3o-de-emerg%C3%AAncia-nas-upas-de-florian%C3%B3polis

Deixe uma resposta