Duas adolescentes contra o machismo e o conservadorismo

Publicado em: 15/09/2017 às 11:15
O filme é sobre se descobrir e se empoderar, é sobre sororidade’, afirma Diana Almeida, produtora do longa (Foto: Divulgação)

Por Xandra Stefanel.

Drama que privilegia o protagonismo feminino, ‘As Duas Irenes’, primeiro longa-metragem do cineasta goiano Fabio Meira, estreou nesta quinta-feira (14) no projeto Sessão Vitrine Petrobras

Irene (Priscila Bittencourt) tem 13 anos e é filha do meio de uma tradicional família numa cidadezinha de interior. Para piorar os conflitos e as inseguranças que geralmente chegam com a adolescência, ela descobre que o pai tem outra família e uma filha da mesma idade e com o mesmo nome. É quando ela parte em busca de respostas sobre esta história escondida e sobre si mesma e se arrisca para conhecer a outra Irene (Isabela Torres) que, ao contrário dela, é uma adolescente extrovertida e segura de si. Esta é a história do primeiro longa-metragem do diretor goiano Fabio Meira, As Duas Irenes, que estreia nesta quinta-feira (14), no projeto Sessão Vitrine Petrobras.

Esta situação é bem mais comum do que se possa imaginar. Tanto que a ideia para o roteiro do filme nasceu de uma história real na própria família do diretor. “Quando eu tinha 13 anos, a mesma idade da Irene no filme, em um dos natais em família vi todos os adultos fazerem o jogo do anel que está retratado na cena do aniversário do Tonico. A partir dessa brincadeira inocente, soube que meu avô tinha outros filhos fora do casamento, e logo depois, que tinha duas filhas com o mesmo nome. Fiquei com isso guardado na memória”, conta Fabio Meira.

Não é à toa que ele prioriza o protagonismo feminino no filme. São os pontos de vista das duas Irenes que conduzem a obra e propõem uma reflexão acerca do machismo e do conservadorismo da sociedade. Além de abordar o amadurecimento e as dores e prazeres da adolescência, o longa acompanha a busca das garotas pelo o que querem em suas vidas. “O filme é sobre se descobrir e se empoderar, é sobre sororidade”, afirma a produtora Diana Almeida.

Os panos de fundo do roteiro são exatamente a sociedade patriarcal e as relações de convivência familiar. “A questão da identidade é a essência do filme, uma jovem percebendo a si mesma à medida que percebe o mundo ao redor. Ela começa a entender quem ela é e o que quer ser. Essa tomada de consciência é decisiva na vida de qualquer pessoa, embora nem todos sejam capazes de enfrentar a sociedade para ser realmente quem se é, doa a quem doer. Para mim, as duas Irenes têm essa ousadia, elas querem ser as donas de suas próprias histórias, mesmo que a sociedade não esteja preparada para isso”, afirma o diretor.

Protagonizada pelas duas atrizes estreantes, com Marco Ricca no papel de pai, a história tenta ser atemporal ao representar um conservadorismo ainda muito presente principalemente nas cidades do interior do Brasil. “Queria propor um recorte da Cidade de Goiás diferente do usual. A intenção é parecer uma cidade quase deserta, e não um ponto turístico. Assim estaríamos representando algo maior, uma situação familiar que existe por conta do machismo arraigado na América Latina”, completa Fabio Meira.

As Duas Irenes ganhou quatro prêmios no 45° Festival de Cinema de Gramado, os prêmios de Melhor Filme, Melhor Roteiro, Melhor Ator Coadjuvante (Marco Ricca) e Melhor Direção de Arte da crítica da Associação dos Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul e teve estreia mundial na última edição da Mostra Generetion, do Festival de Cinema de Berlim.

Os filmes da Sessão Vitrine Petrobras ficam em cartaz em cinemas de 20 cidades do país em sessões diárias ou semanais com ingressos a preço reduzido, de até R$ 12.

 

As Duas Irenes
Direção e roteiro: Fabio Meira
Produção: Fabio Meira and Diana Almeida
Produtores associados: Simone Caetano Marco Ricca Daniel Ribeiro
Produção executiva: Diana Almeida e Rachel Braga
Direção de produção: Carolina Sganzerla
Elenco: Priscila Bittencourt, Isabela Torres, Marco Ricca, Susana Ribeiro, Inês Peixoto, Teuda Bara, Maju Souza, Ana Reston
Assistência de direção: Alice Gomez
Direção de fotografia: Daniela Cajías
Direção de arte: Fernanda Carlucci
Montagem: Virginia Flores
Trilha original: Edson Secco
Desenho de som: Ruben Valdés
Mixagem: Ricardo Cutz

Fonte: Rede Brasil Atual.

Deixe uma resposta