Documentário feito por jovens indígenas da aldeia guarani de Santa Maria é premiado em festival

Apesar dos tempos de pandemia, também há notícias boas para comemorarmos. Na semana passada, o documentário Mbya Arandu (Saber Guarani) foi escolhido como melhor documentário no prêmio especial do júri no 13º Curta Taquary – Festival Internacional de Curta-Metragem, de Taquaritinga do Norte, em Pernambuco.

O filme é o resultado das primeiras atividades de linguagem audiovisual da oficina que  realizamos no ano passado com alunos da escola indígena Mbya Yvyrai´Ijá Tenodé Verá Miri, da Aldeia Guarani Mbyá – Tekoá Guaviraty Porã, localizada no Distrito Industrial, em Santa Maria/RS.

Mbya Arandu fala sobre a necessidade de proteger a Mãe Terra porque é ela que nos dá a vida. O texto do prêmio especial do júri ressalta que foram premiados documentários que se destacaram importantes “pela diversidade e pertinência das temáticas, que abordam o meio ambiente, a liberdade da mulher, a inclusão, preconceito, bullying e poder”. Veja a lista completa dos premiados. Neste ano, o festival, realizado de 22 a 25 de abril, foi totalmente virtual, como uma vitrine de entretenimento para a população que está em casa, possibilitando o acesso de todo o conteúdo para votação e eleição do melhor prêmio na modalidade “Júri Popular”.

O documentário foi produzido coletivamente por Claudemir Moreira, Elida T. Benites, Edson Acosta, Gabriel Alves, Júlio Benites, Andrielly T. da Silva, Marisa Beatriz T. Menites, Nelson C. C. Gimenes, Edson A. Timóteo, Marcelina Timóteo, Mila Acosta, Adriano, Neli Mombelli, Heitor Leal, Tayná Lopes e Paulo Tavares. Aproveitamos também para parabenizar a todos os produtores audiovisuais e todos os curtas selecionados no Festival. Seguimos resistindo na produção audiovisual.

Por Thaisy Finamor

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.