Doadores de medula óssea: sancionada lei de isenção aos doadores

Deputado estadual José Milton Scheffer

Para sanar a angústia e o sofrimento da famílias catarinenses que necessitam do transplante de medula óssea e aumentar o número de doadores para ampliar a chance de encontrarem um doador compatível, foi sancionada pelo Governador Raimundo Colombo, no dia 12 de janeiro, a alteração da lei 10.567/97, proposta pelo deputado estadual Zé Milton, que dispõe da isenção das taxas de inscrição de concursos públicas aos doadores de sangue para incluir os doadores de medula óssea, que é a única esperança de cura para milhares de portadores de leucemia e de outras doenças do sangue.

“Nosso objetivo está em expandir de forma consistente o número de doadores, para que possamos diminuir o número de pessoas que aguardam o transplante. O projeto oferece mais uma alternativa para ampliar o cadastro e a captação de doadores de medula”, defendeu Zé Milton.

Para Zé Milton a medida resultará num aumento significativo no número de cadastros de doadores e, assim, maior possibilidade de encontrar doadores compatíveis. “Há uma queda nas doações. O Redome quer atingir até 250 mil novos doadores de medula óssea este ano. Isto demonstra a necessidade de mobilizarmos e incentivarmos as pessoas a doarem”, informou Zé Milton.

Em 2016, a cota foi superada e chegou a 10.535. No ano passado, não foi atingida. O estado teve  somente 7.851 pessoas realizando os exames para o cadastro, com isto diminuindo muito a chance dos 63 catarinenses que aguardam na fila do transplante.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here