Direito de ouvir

O SUS é referência no mundo, garantir o direito de uma pessoa OUVIR de novo é assegurar a dignidade que o trabalho cruel do mundo capitalista tirou dessa geração sofrida e está tirando da nossa, com a reforma da previdência e outros ataques.

Imagem: Reprodução Pixabay.

Por Claudia Weinman, para Desacato. info.

Quando a gente é “jovem”, algumas coisas demoram para fazer sentido ou ter significado.

A gente não imagina como é chegar aos 60 anos e não poder ouvir direito por exemplo, ou precisar de mais amparo, carinho e gentileza.No início dessa semana fomos consultar a mãe. Graças ao SUS, ela recebeu atendimento de Assistente Social, Psicóloga, Fonoaudióloga e outros profissionais para receber um aparelho auditivo. Em cada atendimento, um despertar para compreensão do quanto é preciso ter mais paciência quando uma dificuldade assim chega em quem a gente ama profundamente. Aprendemos como respeitar, como a nossa comunicação pode melhorar seguindo alguns passos.

Estamos falando de amor e também de direitos.

O SUS é referência no mundo, garantir o direito de uma pessoa OUVIR de novo é assegurar a dignidade que o trabalho cruel do mundo capitalista tirou dessa geração sofrida e está tirando da nossa, com a reforma da previdência e outros ataques.

A agressão neoliberal nos tira a possibilidade de ouvir como um igual, de enxergar, de respirar, de não sentir dor. E isso é doloroso demais. Minha mãe por exemplo, passa dias ouvindo um “chiado” – como ela descreve, terrível, incomodativo, que perturba, que impede ter qualidade de vida. Essa audição “perfeita” que muitos de nós temos não será recuperada, pois o trabalho forçado, à exposição ao barulho quando jovem, danificou sua saúde. Mas existe a possibilidade de amenizar isso, de mudar essa rotina de desassossegos.

Faltam poucos dias para ela ter o aparelho em mãos. Me chega um sentimento de satisfação, de saber que ela vai poder me ouvir melhor, que quando for assistir alguma de nossas produções não vai precisar pressionar os fones de ouvidos, não vai machucar. É a volta de uma independência que está em falta.

Devemos lutar pelo SUS. Lembrei das colunas escritas pelo professor Douglas Kovaleski, da Saúde Coletiva, da Democracia, dos Direitos Humanos e Sociais interligados. O SUS é fruto de lutas históricas importantes. Hoje a gente é beneficiado com isso e enfrentamos vários desafios ligados a quem se aproveita desse sistema para seu benefício individual, passando por cima da coletividade, e, além disso, estamos lutando também por uma sociedade diferente, que não ofereça tais riscos para saúde das pessoas, mas para isso, um governo como esse que está em vigência no Brasil não pode existir.

#ForaBolsonaro #ForaCapital

Claudia Weinman é jornalista, diretora regional da Cooperativa Comunicacional Sul no Extremo Oeste de Santa Catarina. Militante do coletivo da Pastoral da Juventude do Meio Popular (PJMP) e Pastoral da Juventude Rural (PJR).

 

A opinião do autor/a não necessariamente representa a opinião de Desacato.info.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.