Depois de pedir repressão a antifascistas, Mourão diz que pedir golpe militar nas ruas é “liberdade de expressão”

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

O general vice-presidente Hamilton Mourão afirmou em entrevista nesta quinta feira (4) que os pedidos de golpe militar feitos por manifestantes bolsonaristas nas ruas são “liberdade de expressão”. A defesa dos golpistas acontece um dias dia depois de Mourão haver qualificado os manifestantes antifascistas de “baderneiros” e exigir repressão: “Baderneiros são caso de polícia, não de política”.

Na entrevista a diversos veículos de comunicação nesta quinta, Mourão afirmou que pedidos de intervenção militar em manifestações bolsonaristas não são “as bandeiras mais corretas”, mas devem ser tratadas como “liberdade de expressão”.

Em artigo publicado no jornal O Estado de S.Paulo na última quarta-feira (3), o general acusara as manifestações pacíficas da oposição de serem “um abuso”, acusando-as falsamente de “ferirem, literalmente, pessoas e o patrimônio público e privado”. Recorrendo a velho truque de retórica da direita, o general Mourão escrevera também que as manifestações ocorridas no Brasil são “umbilicalmente” ligadas ao “extremismo internacional”. Batendo na tecla de que os manifestantes são baderneiros, o general ameaçou-os com repressão: “Baderneiros são caso de polícia, não de política”.

Fonte: Brasil 247.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.