Demitido por ser negro

Robson Sá
Robson de Sá. Foto: Marcio Farias

Por Robson de Sá.

Hoje o post é diferente: REVOLTA! Não, você não leu errado: Acabo de ser demitido por ser negro e ter cabelo black, em um trabalho de escritório administrativo “off line”, somando a números e várias estatísticas sociais…

Há pouco mais de um mês troquei de trabalho a convite de um “ex-supervisor” para integrar sua equipe justamente por crédito à minha conduta e meu desempenho profissional. Na ocasião, participei de um processo seletivo “sob indicação do mesmo” e pedi demissão do serviço anterior quando contatado para levar minha carteira de trabalho. O trabalho era o mesmo que realizava na antiga empresa, onde nos conhecemos, logo não tive dificuldade com o sistema, mas a conduta e valores eram outros e pude logo perceber isso, na pele.

No primeiro dia de trabalho, sem disfarçar, o dono da empresa passa por mim e me olha torto, mas eu finjo normalidade, mesmo percebendo perguntar por que contratar um negro de cabelo afro e barba? Mais tarde, ao final do expediente, meu supervisor me chamou pra conversar pedindo pra que, a partir daquele dia, eu viesse mais “arrumadinho”, “tirasse a barba” e que olhasse em torno da operação pra ver o nível das pessoas. Me senti estranho, diferente, mas acreditei ser fruto da minha imaginação e que “de repente” não tinha acertado no look “frist job” (blusa polo, jeans e tênis social). Mas não parou por ai.. os olhares só aumentam, as repulsas antes enrustida hoje já eram claras a ponto de me desenvolver uma paranóia comportamental, social e lamento com amigos e familiares. Comprei roupas novas, blusas sociais, sapato sempre engraxados.. nada disso contribuia! Elogios na rua não me faltavam.. até meu supervisor dizer: AMANHÃ VENHA COM O CABELO MAIS BAIXO! e naquele momento tive a certeza de que estava sendo vítima de preconceito e assédio moral. Sim, muitas pessoas, como eu passam por isso e se aderem ao sistema ou padronizam seus interesses em busca de aceitação, mas e eu, o que faço??

Hoje ao final do expediente fui desligado da empresa com a justificativa de que não me adequei a empresa e na entrevista de desligamento o próprio RH contratante, que estatelado dizia: “Não sei nem o que te dizer, fomos pegos de surpresa!” Se colocou a disposição para entrar em contato com a antiga empresa e tentar uma recontratação, caso haja interesse. Informado sobre as intervenções raciais e que durante o processo seletivo não tinha sido dito ela falou: “Mas a gente disse ARRUMADINHO!”

Que triste! Que vazio!
Não é vitimismo… é um soco!

Só um negro sabe o sabor e a dor das nossas conquistas e indiferenças sociais… Me tiraram de um navio e me deixaram numa sociedade amargurada de padrões e rótulos pra serventia. EU VOU SOBREVIVER!!

De repente esse não seja o melhor caminho, mas hoje reforço um novo parágrafo na minha vida profissional, pessoal e como cidadão: SOU NEGRO SIM, E RACISTAS NÃO PASSARÃO! vamos resolver isso judicialmente. De repente pagando uma NOTA PRETA, essa cor mude de sentido para esses racistas alienados.

robson

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.