Demissões na Unochapecó: Nossa solidariedade à professora Ilka Goldschmidt

Foto: Arquivo Pessoal.

Redação.

O Portal Desacato e a Cooperativa Comunicacional Sul se solidarizam com a professora Ilka Goldschmidt que no dia de ontem recebeu a notícia de sua demissão da Unochapecó, Universidade localizada no Oeste Catarinense. Junto com ela, o professor também do curso de jornalismo, Vagner Dalbosco, foi vítima dessa política de desmonte da educação brasileira.

Nosso abraço fraterno e agradecimento à professora Ilka Goldschmidt que sempre possibilitou espaços de diálogos para construção de um jornalismo crítico, responsável, comprometido com a vida das pessoas. Sentimos que nesse momento tenhamos chegado nesse cenário devastador, onde pessoas estão sendo perseguidas por incentivarem o pensar. O Oeste Catarinense perde com a demissão de uma professora tão responsável e querida por seus educandos/as. Isso só mostra o quanto precisamos avançar e tomar às ruas em defesa da democracia, da liberdade.

Importante lembrar que desde o mês de novembro os/as educandos/as do Diretório Central dos Estudantes entraram em contato com o Portal Desacato para denunciar as demissões em massa de professores/as e técnicos/as que estão acontecendo na Unochapecó. Mobilizações foram feitas e notas de repúdio tomaram as redes sociais. No entanto, as demissões tiveram continuidade, o que coloca em risco a construção do conhecimento e da consciência crítica segundo os/as estudantes.

O Sindicato dos Professores do Oeste de Santa Catarina – SINPROESTE se manifestou sobre as demissões de professores e destaca a falta de transparência da Unochapecó sobre essas decisões.

Confira a nota:

As últimas medidas da Reitoria de desligamento imotivada de docentes foram justificadas por uma suposta necessidade de ajuste financeiro. Em nenhum momento a gestão esclareceu qual será o impacto desse “ajuste” nos contratos de trabalho e tampouco quais são os critérios para as demissões. A falta de transparência marca essa gestão, que desrespeita a categoria docente ao afirmar que os professores desligados serão substituídos por “melhores” (mensagem do reitor aos estudantes). Docentes são tratados como peças descartáveis de uma engrenagem, como se as medidas adotadas não afetassem as vidas das pessoas desligadas e dos estudantes da Universidade, que perdem quadros altamente qualificados.

Em reunião com a Reitoria, realizada em outubro, a direção do SINPROESTE solicitou maior transparência da gestão em relação aos motivos para tantas demissões e a criação de canais de diálogo com os docentes. Na ocasião, a reitoria sinalizou para a busca de outros caminhos, como ajuste de carga horária. Não se esperava, que depois disso, uma nova onda de desligamento de professores fosse acontecer.

O SINPROESTE repudia veementemente as demissões e se coloca ao lado dos docentes para atuar em defesa de seus direitos e da dignidade de nossa profissão.

2 COMENTÁRIOS

  1. Foi demitida por querer impor sua ideologia politica dentro da Universidade. Sempre levando para um ensinamento jornalistico PARCIAL à sua ideologia… Sem contar também das inúmeras reclamações de alunos contra ela na ouvidoria… A Reitoria fez um excelente serviço em desligar ela!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.