Demissão em massa no Notícias do Dia golpeia o jornalismo em SC

No dia 3 de setembro o jornal Notícias do Dia promoveu um processo de demissão em massa. Segundo informações extraoficiais, houve um corte de 30% no pessoal, incluindo redação, transporte, comercial e assinaturas. Na redação foram nove jornalistas e um motorista. A justificativa da empresa foi a necessidade de “buscar mais produtividade com menor custo”, ou seja, buscar mais lucro às custas do trabalhador/a.

Profissionais com anos de trabalho dedicado a levar informação de qualidade à sociedade foram simplesmente dispensados. Tudo em função de um “processo de mudanças” orientado por uma consultoria que, batendo na já desgastada tecla de “atender a um novo modelo de negócios” (leia-se desmantelar a mídia impressa), aponta o caminho mais curto e insensível para assegurar o lucro da empresa.

Preocupação com a situação na qual serão jogados profissionais comprometidos com o jornalismo – e numa conjuntura de crise? Zero! Com a qualidade da Informação? Zero! Importante para a empresa é manter a margem de lucro. E isso ficou claro nas declarações do presidente do Grupo RIC SC, Marcelo Petrelli, ao portal Making Of: Precisamos readequar o jornal em todos os sentidos, pois os hábitos de leitura e o perfil do leitor mudaram e precisamos nos atualizar para acompanhá-los e nos mantermos em crescimento”.

Também reveladora foi a manifestação do diretor de conteúdo do Grupo RIC SC, Luís Meneghim, ao mesmo portal. “Estamos trabalhando para nos adequar à nova realidade do negócio da mídia impressa. Precisamos focar mais em conteúdo, trabalhar processos, buscar mais produtividade com menor custo e isso passa por reoxigenação na equipe de profissionais”.

Na prática, a realidade vivenciada Brasil afora demonstra que, “focar no conteúdo” com cada vez menos profissionais para produzir conteúdo é mais um tiro no pé. Mas esta “tendência de mercado” não deve ter sido detectada pela consultoria contratada.

Em síntese, a “readequação” orientada por consultoria se traduz em colocar profissionais competentes, pais e mães de família, no olho da rua em nome de uma “reestruturação produtiva” submetida aos ditames do mercado. Significa, também, aumentar a carga de trabalho dos que ficam, com “menor custo”.

O Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina solidariza-se com os colegas atingidos e acionou sua assessoria jurídica para assegurar os direitos dos trabalhadores.

Os jornalistas, o jornalismo e a sociedade catarinense sofreram novo golpe!

Florianópolis, 04 de setembro de 2018.

Diretoria do SJSC

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.