Concurso para professores do IFES aborda definições de gênero e sexualidade e referencia Jaqueline Gomes de Jesus

Foto: Reprodução

A professora Jaqueline Gomes de Jesus foi referenciada em uma das questões do mais recente concurso para professores de Filosofia do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES). Tratou-se do livro “Orientações sobre identidade de gênero, conceitos e termos”, lançado em 2012, cujo e-book pode ser adquirido aqui.

A questão número 18 trouxe o “biscoito de gênero”, em que dava definições de Jaqueline sobre o que é sexo, identidade de gênero, expressão de gênero e orientação sexual. Tais definições serviram de conteúdo para desenvolver a questão, que visava saber qual mensagem é incorreta, de acordo com a obra Problemas de Gênero: feminismo e subversão da identidade, de Judith Butler.

“Fiquei feliz pela referência”, afirmou Jaqueline com exclusividade ao NLUCON. “É interessante que os conceitos que estão ali apresentados funcionam na questão acadêmica. Eu considero que eles estejam mais atualizados em outras obras, mas é bom que eles apresentaram ali. Eu trabalhei melhor a questão de gênero no artigo “Gênero sem essencialismo: feminismo transgênero como crítica do sexo”, que eu publiquei nas revista Universitas Humanísticas, na Colômbia, que defino identidade de gênero como uma atitude individual frente ao construto-social gênero (link)”.

Nas definições da prova estão:

Sexo: Classificação biológica das pessoas como machos ou fêmeas, baseada em características orgânicas como cromossomos, níveis hormonais, órgãos reprodutivos e genitais […].

Expressão de gênero: Forma como a pessoa se apresenta, sua aparência e seu comportamento, de acordo com expectativas sociais de aparência e comportamento de um determinado gênero. Depende da cultura em que a pessoa vive.

Identidade de gênero: Gênero com o qual uma pessoa se identifica, que pode ou não concordar com o gênero que lhe foi atribuído quando de seu nascimento […]

Orientação sexual: Atração afetivossexual por alguém. Vivência interna relativa à sexualidade. Diferente do senso pessoal de pertencer a algum gênero.

Jaqueline diz que é importantíssimo abordar a temática no concurso para professores, sobretudo nos estão na área da Filosofia. “Eles vão estar em contato com jovens do ensino médio, discutindo questão da vida deles, de gênero, de sexualidade, para além de uma visão puramente biologista, refletindo esses conceitos, sobre esses olhares de tudo, que tem tudo a ver com o trabalho reflexivo, prático e pragmático de entender essas conceituações, que são construídas socialmente e que trazemos sentido a essas identificações”.

A professora diz que muitas vezes estudos de gênero ou sexualidade ficam pautados apenas opinião. Mas que na verdade trata-se de uma reflexão fundamentada do argumento. “Então é importante que essa discussão seja mais aprofundada, fundamentada, principalmente com autoras como eu, que se engajam nessa reflexão a partir do ativismo intelectual e de um posicionamento crítico de como esses conceitos são construídos”, declara.

Vale dizer que Jaqueline, que é professora de Psicologia do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), tem contribuições em mais de 40 livros, bem como Transfeminismo: Teorias e Práticas, Homofobia: Identificar e Prevenir . Os mais recentes são História do Movimento LGBT, no qual tem um capítulo e que será lançado nesta quinta-feira (29) no IX CINABEH, na UFC, e Explosão Feminista, de Heloísa Buarque de Hollanda, no qual foi entrevistada, e cujo lançamento ocorre na sexta-feira (30).

Confira questão abaixo: 

7f5ad2b5-c3eb-4010-83ab-92ad017a2116

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.