Comunidade escolar e prefeito do Extremo Oeste Catarinense divergem sobre fechamento de escola rural

Redação

Com informações de Claudia Weinman, para Desacato.info

Ontem, dia 12 de fevereiro, o presidente da APP da linha Dois Irmãos, César Fries, pertencente ao município de São Miguel do Oeste, município fronteiriço de Santa Catarina, denunciou a possibilidade de uma escola rural ser fechada pela prefeitura local, por contenção de despesas e poucos alunos em algumas séries, seguindo a linha de recorte nacional na educação.

Fries fez estas declarações:

No fim do dia a comunidade escolar emitiu este comunicado via rede social:

Já hoje pela manhã, o prefeito Wilson Trevisan (foto abaixo), através da sua assessoria  se expressava em comunicado afirmando que as informações do possível fechamento são responsabilidade de “pessoas infiltradas”, sem esclarecer quem seriam essas pessoas.

Prefeito de São Miguel do Oeste/SC, Wilson Trevisan, envia nota de esclarecimento.

“A Administração Municipal de São Miguel do Oeste vem a público esclarecer algumas inverdades que têm circulado nas redes sociais em relação ao ano letivo na Escola Municipal Padre José de Anchieta, na Linha Dois Irmãos.

1º – Em nenhum momento cogitou-se o fechamento da escola.
2º – Um levantamento técnico realizado pela Secretaria de Educação, realmente apontou a inviabilidade econômica da manutenção das turmas do 6º ao 9º ano, devido ao número reduzido de alunos (22, no total, com turmas tendo apenas 03 alunos).
3º – Chegou a ser cogitado, tão somente, o remanejamento destes alunos para outras escolas, sem alterar o funcionamento das séries iniciais (1º ao 5º ano).
4º – Apesar da recomendação técnica, em reunião realizada pela Administração Municipal, às 11h da manhã desta segunda-feira (12), foi decidido pela manutenção de todas as turmas, no intuito de incentivar a permanência dos jovens no campo e facilitar o acesso à Educação.
5º – A Administração Municipal de São Miguel do Oeste agradece o respeito e parceria da comunidade da Linha Dois Irmãos, na realização de diversas ações, mas lamenta a utilização irresponsável e de cunho político-partidário, de qualquer tipo de informação, por algumas pessoas infiltradas”.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Prefeitura.
Foto: Arquivo Prefeitura.

A reportagem do Portal Desacato, procurou a opinião sobre o assunto da professora e assessora parlamentar, Sandra Bataglin, que informou sobre a situação das escolas rurais em Santa Catarina e estimulou a mobilização das comunidades em defesa das escolas do campo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.