Comandante

Publicado em: 08/05/2011 às 21:38
Comandante

Por Emanuel Medeiros Vieira.

Coronel que invadiu Campus Universitário é nomeado Comandante da PM pelo Governador do PT

(ACABOU A UTOPIA?)

O novo comandante militar da Bahia, nomeado pelo governador Jacques Wagner (do PT – abreviatura  de Partido ”dos Trabalhadores”!), é o mesmo que comandou a Tropa de Choque que ocupou o campus da Universidade Federal da Bahia (UFBA) EM MAIO DE 2001 E BAIXOU O SARRAFO NOS ESTUDANTES.

Memória?

Segundo um jornalista, “muitos dos que apanharam não estavam nem aí.

Ou melhor, estavam ao lado do coronel, alegres e sorridentes” (no dia da posse, 6 de maio).”

O que fez na Bahia o governador Jacques Wagner?

De maneira astuta – conhecendo a cobiça da maioria dos seres humanos pelo Poder  –,

agregou  aos seu governo, remanescentes da “turma” de ACM (como o vice-governador), trouxe também outras figuras que o PT (de antes! ) qualificava de”direitistas” e – Meu Deus! – cooptou gente dos chamados movimentos sociais (como dos negros e das mulheres),criando há pouco quatro novas secretarias e oferecendo muitos cargos.

Calou a boca dos ex-socialistas!

Eles se aquietaram!

Seria o governador um novo Maquiavel, reencarnado na Bahia?

Outros chamam o governador de  “ACM sem tacape”.

Estaria fazendo aquilo que um escritor qualificou de “ditadura perfeita” (falando sobre o PRI mexicano, que ficou décadas no Poder).

Só uma lembrança: essa gente foi eleita para mudar – combatendo ACM.

Onde estão os deputados ditos de “esquerda”, eleitos pelos movimentos sociais?

Estão calados!

Será que dormem em paz?

Pedirão de novo votos – como se nada acontecesse – para aposentados, funcionários públicos, médicos  e professores?

Sim, são capazes!

Virão com álibis compensatórios –como diria Freud –, ou truques mentais ou jogos verbais, para justificarem seus atos.

Falarão em “povo” e “unidade”.

Em ética.

ESQUECEM QUE ÉTICA NÃO TEM PRAZO DE VALIDADE E QUE O DECORO É ATEMPORAL

Este governo baiano do PT está  embriagado pelo Poder!

Meu pai dizia: dê uma “mesa grande” (como metáfora do poder) para alguém e conhecerás o seu caráter”.

São, como disse alguém, uns ”bolcheviques sem utopia”.

(Por favor, não venham com platitudes ou idiotices de dizer que quem critica o PT “faz o jogo da direita”.

Chega!

Não subestimem a nossa inteligência!

Quem assina esse texto foi militante da AP, amigo de Luiz Travassos e de Chico Pinto (corajoso e honrado baiano), e esteve preso na OBAN (não é preciso dizer que lá foi a sua estação no inferno) e, durante meses, no DOPS, sofrendo um longo processo.

Quem assina (com sincera indignação) estava na luta, quando muitos democratas de hoje, apoiavam a ditadura*

*Emanuel Medeiros Vieira foi membro do Conselho Editorial do jornal “Movimento” e correspondente em Santa Catarina do semanário “Opinião”.

Também foi dirigente do IEPES, embrião da futura Fundação Pedroso Horta.

(Salvador, maio de 2011)

 

Deixe uma resposta