Clipe ‘Respeita’, de Ana Cañas, traz mensagem forte contra violência de gênero

Publicado em: 20/05/2017 às 10:22

Elza Soares, Maria da Penha, Maria Rita Kehl, Mel Lisboa e outras 80 mulheres participam do lançamento da música: respeito

respeita

“O silêncio é um grito de socorro/ escondido pela alma, pelo corpo/ pelo o que nunca foi dito// Ninguém viu, ninguém vê/ ninguém quer saber/ A dor é sua, a culpa não é sua/ mas ninguém vai te dizer/ E o cinismo obtuso/ daquele cara confuso/ eu vou esclarecer: abuso”, “Meu corpo, minha lei” e “Respeita as mina, porra”. Estes são alguns trechos da nova música da cantora paulistana Ana Cañas, Respeita, que acaba de ganhar um videoclipe com a participação de 86 mulheres entre atrizes, grafiteiras, cantoras, muitas delas conhecidas pelo engajamento contra a violência de gênero.

O clipe tem participação de Elza Soares, Júlia Lemmertz, Karina Buhr, da psicanalista Maria Rita Kehl, de Maria da Penha, Mel Lisboa, Sophie Charlotte, Zélia Duncan, entre várias outras mulheres que também participaram do lançamento do vídeo no dia 13 de maio. Em sua página do Facebook, Ana Cañas declarou: “Ainda sem palavras para descrever a emoção do show de ontem!Um encontro na transversal da vida. Mulheres que se uniram para cantar, gritar e mudar a realidade doída dos assédios, abusos, agressão e opressão. Minha gratidão eterna à todas as manas que chegaram e somaram nessa noite muito especial. Coisa da alma essa aventura humana e avassaladora que é trocar, somar e se unir.Aprender”.

No videoclipe, muitas das mulheres estão visivelmente emocionadas e tocadas pela mensagem de Ana Cañas, algumas choram, outras encaram a câmera como se ela fosse seu agressor, em uma atitude de enfrentamento que simboliza um “basta” contra o abuso, o assédio, a opressão e tantos outros tipos de violência de gênerosofridos cotidianamente.

A música Respeita, produzida por Rica Amabis e Tejo Damasceno, do coletivo Instituto, tem forte pegada hip hop, e o clipe foi dirigido por Isadora Brant e pelo fotógrafo e cineasta João Wainer.


Fonte: RBA

Deixe uma resposta