Cinema africano na Fundação Cultural Badesc. Programação completa

Cena do filme Wend Kuuni, de 1983. Divulgação

Dia 5 de março, segunda-feira, 19h, Cine Africano

Wend Kuuni

De Gaston Kaboré. Burkina Faso. 1983. 75min. Drama. Sem classificação. Com Serge Yanogo,  Boucare Ouedraogo e  Colette Kaboré.   

Um vendedor ambulante, ao cruzar a savana, encontra uma criança inconsciente e o deixa com uma família na vila mais próxima,  dando-lhe o nome Wend Kuuni.

Veja a programação completa dessa semana na Fundação Cultural Badesc:

 

OLHAR O DESENHO | FLÁVIA DUZZO

Visitação até 22 de março, das 12h às 19h

A exposição coloca frente a frente trabalhos de duas fases distintas, com uma diferença de oito anos em sua elaboração. Apresentar essas obras em um mesmo espaço de exposição, lança para a própria artista o desafio de identificar as dissonâncias e afinidades entre elas. O pensamento sobre a linha e sobre o plano no desenho está posto. Fica a questão: que tipo de relação se poderia traçar, ou ainda, haveria algum tipo de recorrência nas etapas desse processo? Flávia Duzzo é doutora em artes visuais pela UFRGS, com pós-doutorado na UDESC.

ABERTURA DE EXPOSIÇÃO Espaço Fernando Beck

Entre nós, o silêncio, de Franzoi

Abertura dia 1º de março, quinta-feira, às 19h.

Visitação até 05 de abril, de segunda a sexta-feira, das 12 às 19h.

Misto de performance, registros e videoinstalações, a exposição reivindica a noção de ciclo, de passagem inexorável de tudo que se estende na temporalidade para o entendimento de aspectos fundamentais da existência. Os vestígios que o artista abandona após a performance servem de sinal, de rastro da aventura individual. A herança que deixa é esse espaço para reflexão e quietude.

No dia da abertura, 01 de março, às 19h, será realizada a performance entre nós, o silêncio II.

No dia 12 de março, às 15h, será realizada na escadaria da Catedral a performance almacorpo.

No dia  05 de abril, às 17h, será  realizada uma roda de conversa performance de onde vem, para onde vai, e finaliza com a performance o que se faz presente II.

CINEMA

Ciclos Latinoamericanos

Terças-feiras, 06 e 27 às 19h

A proposta das sessões é a aproximação com o cinema contemporâneo na América Latina que se hibridiza nas relações entre a cultura popular e as influências internacionais. Nesta primeira edição serão exibidas duas ficções colombianas que tratam do imaginário popular, explorando relações que se dão em territórios economicamente prejudicados ao mesmo tempo.

CINECLUBE

Dia 26, segunda-feira, 19h, Cine Africano

Toula Ou, o espírito das águas

(Toula Ou le génie des eaux) de Moustapha Alassane e Anna Soehring. Niger/Alemanha. 1974. 72 min. Drama. 16 anos. Com Isaa Bania, Solange Delanne e Parfait Kondo.

Os deuses declararam a seca do país e para aplacar a sua ira, um homem sagrado convocado pelo rei exige o sacrifício de uma jovem mulher.

 Dia 27, terça-feira, 19h, Ciclos Latinoamericanos: Colômbia

A terra e a sombra

(La tierra y la sombra) de César Augusto Acevedo. Colômbia/França. 2015. 97 min. Drama. 10 anos. Com Haimer Leal, Hilda Ruiz e Edison Raigosa.

Após 17 anos, um trabalhador de uma plantação de cana de açúcar volta para casa, conhece seu neto que está doente e tem de lidar com as dificuldades que a família está enfrentando.

Dia 28, quarta-feira, 19h, ART 7

A vida dos outros

(Das Leben der Anderen) de Florian Henckel von Donnersmarck. Alemanha. 2006. 138 min. Drama/Thriller. Sem classificação. Com Ulrich Mühe, Sebastian Koch e Martina Gedeck.

Suspeitos de infidelidade ao comunismo são vigiados por um capitão do serviço secreto, que fica fascinado pelas suas vidas.


Dia 01, quinta-feira, 19h, Documentário Histórico

Viramundo

De Geraldo Sarno. Brasil. 1965. 37min. Documentário. Livre.

A vida dos migrantes que deixam o nordeste do país em direção a São Paulo nos anos 1960 em busca de melhores condições.

Subterrâneos do futebol

De Maurice Capovilla. Brasil. 1965. 32min. Documentário. Livre.

Particularidades da vida dos jogadores de futebol, as dificuldades e esperanças e a estrutura  econômica e política por trás do esporte.

Mediação: Prof. Dr. Rafael Hagemeyer (Depto. História/UDESC)

Dia 02, sexta-feira, 19h, Grandes Diretoras

Retrato Marguerite Duras

Destruir, disse ela

(Détruire Dit-Elle) de Marguerite Duras. França. 1969. 100min. Drama/Mistério. Sem classificação. Com Catherine Sellers, Michael Lonsdale, Henri Garcin e Nicole Hiss.

Um grupo de pessoas se encontra num hotel de campo e passa a se relacionar de formas singulares.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.