Chifre da África: por trás da fome está sempre a cobiça por recursos naturais

Na Somália, em apenas 48 horas haviam morrido de fome mais de cem pessoas. E por trás da explicação para esta possível fome nesses países está sempre a seca, que afeta o norte do Chifre africano. Por Leslie Salgado, Joanesburgo.

Há alguns dias saiu nas manchetes da imprensa internacional a advertência da FAO, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação, sobre a possibilidade de fome em quatro países: Nigéria, Iêmen, Sudão do Sul e Somália. Na Somália, por exemplo, em apenas 48 horas haviam morrido de fome mais de cem pessoas. E por trás da explicação para a possibilidade, para esta possível fome nesses países está sempre a seca, que afeta o norte do Chifre africano.

Há alguns matizes que geralmente escapam às grandes manchetes. A seca veio agravar a situação de insegurança que já viviam esses países. Insegurança provocada por conflitos em sua maioria, claro, provocados pelo homem. O caso mais exemplar é o caso do Iêmen, do qual já falamos aqui no Nocaute. Os bombardeios da Arábia Saudita contra o Iêmen provocaram uma situação de total insegurança nesse país. Bombardeios que, como vocês já sabem, acontecem com total cumplicidade do Ocidente. Dois terços da população iemenita está em situação de insegurança. E a FAO teme que o pior está por vir, em final de março, quando acabarem os abastecimentos de trigo nesse país.

O caso do Sudão do Sul também exige atenção. Segundo o diretor de emergências da FAO, só uma pequena parte do território desse país está afetado pela seca. O que acontece é que o Sudão do Sul está há três anos em guerra civil. Uma guerra civil que enfrenta facções que apoiam o presidente e o vice-presidente do país. Mas por trás de tudo isso, como pano de fundo está o fato de que o Sudão do Sul é o terceiro produtor de petróleo da África.

Como sempre ocorre neste continente, por trás dos conflitos está a luta pela posse de algum recurso natural. E por trás de tudo isso, alguma potência ocidental. No caso da Somália também a situação da seca veio agravar a situação de conflito que vivem esse país e a Nigéria, afetada pelo terrorismo. Ou seja, quando se pensa que o norte do Chifre Africano está afetado por essa situação de seca provocada pelo El Niño, que afetou, de fato, as colheitas de 2016 e que tem agora a repercussão em 2017, não se pode esquecer, não se pode perder de vista que os conflitos provocados pelo homem são a principal causa da situação de insegurança alimentar que vivem essas pessoas.

São aproximadamente 27 milhões de pessoas em possível situação de fome, na maioria crianças que já estão em situação de desnutrição, porque foram passados para zonas em que não têm acesso a leite, não têm acesso a proteína, e claro, isso conduz a uma total desnutrição. Lembre-se que sempre por trás das manchetes que pretendem minimizar, simplificar os problemas que o continente vive, há sempre algo mais associado, e geralmente aos recursos naturais dessas terras.

Fonte: Nocaute. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.