Chico Anísio, fama feita de preconceito

Por Luiz Cézar.
Com a morte de Chico Anísio não morrerá a modalidade de humor por ele disseminada. Rafinha Bastos, Danilo Gentili e outros estarão aí para dar continuidade ao legado de deboches e de escárnio às diferenças que o humorista deixou estabelecido como padrão de riso na cultura televisiva brasileira.

Nunca será demais lembrar que Chico Anísio, um escroque a serviço das Organizações Globo fez fortuna marcando as diferenças sociais em seu País: de gênero, de raça, de nível econômico, de religião e de condições de saúde.

Quem não se lembra, tendo mais de 40 anos de idade, de suas imitações de gagos, fanhosos, velhos, mulheres, nordestinos, judeus, umbandistas e homossexuais? Gerações acostumaram-se ao riso fácil das caricaturas que fazia dos mais fracos, reproduzindo depois essa modalidade de humor nas escolas e ambientes de trabalho, de modo a perpetuar a discriminação que pesava sobre os que se encontravam em oposição ao ideário de normalidade da classe média.

Chico Anísio não era um comediante como foi no seu tempo Oscarito, Zelloni, Golias e Zezé de Macedo. Foi um déspota do riso que apontava no meio da multidão o que era destinado à chacota e à humilhação.

Acomodou-se ao regime militar e a ele serviu comandando sessões apelativas de riso que desviavam a atenção dos rumores sobre as atrocidades cometidas pelos algozes, que seus patrões diariamente ocultavam.

Contribuiu para que se criasse em torno do último ditador do ciclo de governantes da ditadura militar, João Figueiredo, uma aura de simpatia e tolerância por meio de um quadro em que mantinha conversas intimistas com o governante.

Afeiçoado a bajulações dos poderosos, ainda depois da ditadura Anísio chegou ao cúmulo de dar sustentação ao confisco da poupança praticado pelos sócios de seus patrões, os Collor de Mello, vindo até a casar-se, em troca disso, com uma das primas e ministra da economia do ex-presidente Fernando Collor, Zélia Cardoso de Mello.

Viciado em cocaína, como ele mesmo declarou um dia às TVs, Chico Anísio nunca se recuperou da dispensa de seus serviços pela Rede Globo depois que a emissora – para a qual muito contribuiu com o elevado faturamento de seus programas – decidiu renovar sua imagem nos anos de 1990 apelando a uma nova abordagem de humor, representada por grupos humorísticos egressos do teatro.

Antes que iniciasse a lenta agonia em direção ao destino igualitário da morte, a Globo cedeu à mágoa do humorista e deu-lhe a chance de um breve retorno à cena representando a idosa que fazia ligações telefônicas para o ditador Figueiredo. Só que nesse ato de despedida, quem estava do outro lado da linha era a mulher e ex-prisioneira política Dilma, a quem o preconceito do humorista jamais perdoaria por haver derrotado  o estigma machista e vergar, sem os favores da Globo, a faixa de presidente da República.

Um troco que, por felicidade, a vida dá aos homens sem caráter antes que caiam no esquecimento.

 

*Luiz César é Economista, Linguista, Mestre em Cultura, Mestre em Tecnologia (todos pela USP) e Master em Gestão Econômica de Projetos pela GV

Imagem tomada de: dignow.org

21 COMENTÁRIOS

  1. De todas as patacoadas que este pseudo intelectual escreveu, a que realmente não comporta dúvidas é aquela em que, referindo-se à “presidenta”, ele diz “ipsis litteris”: “…e vergar, sem os favores da Globo, a faixa de presidente da República.”

    Aqui ele tem toda a razão – embora claramente não saiba o que diz apesar de se dizer linguista – porque a pobre faixa nunca esteve tão vergada ao peso do opróbio a que vem sendo submetida há tanto tempo, mas muito especialmente durante a última década.

    Diz-se ele, ou diz alguém por ele: *Luiz César é Economista, Linguista, Mestre em Cultura, Mestre em Tecnologia (todos pela USP) e Master em Gestão Econômica de Projetos pela GV

    É muito mestrado junto. E todos conseguidos na USP. Está pensando que é pouca coisa???

    Esperemos que não tenham sido conseguidos com os mesmos artifícios usados por aquela que hoje, segundo o preclaro e eminentíssimo mestre, o doutor signatário da parvoíce em tela, “verga a faixa”.

    Se bem nos lembramos, os títulos de “mestrança” e “doutorança” de sua excelência excelentíssima, noticiados no site da então candidata, afinal, tiveram de ser de lá retirados porque, perquirida, a escola informou não serem verdadeiros. Que vergonha, não? E aí, com a maior cara de pau – coisa habitual e costumeira em petralhas de qualquer calibre – ficou o dito pelo não dito e candidamente se comunicou à população, terem sido resultado de um “pequeno lapso”, ou teria sido um “pequeno lápis”? E durma-se com um barulho destes.

    Mas uma coisa eu creio poder garantir:

    Enquanto este tão eminente mestre, tão afamado doutor, tão laureado e preclaro linguista, que confunde o verbo “vergar” com envergar” enquanto ele, dizia eu, era, é e provavelmente será sempre, um ilustre desconhecido procurando seus trinta segundos de fama no imenso proscênio da Internet, e conseguindo alcançá-la pela via do ridículo, o grande Francisco Anysio de Oliveira Paula Filho – que não ostentava nenhum desses grandiloquentes títulos – será sempre lembrado como um excelente profissional, enquanto houver vivo, qualquer bom brasileiro que o tenha visto trabalhando.

    A Inveja é uma tristeza mas a petulância barata é pior ainda.

    Antonio Calado – um anônimo como tantos, que não sendo idiota, não gosta que o queiram fazer de tal.

  2. As militâncias das ONGS (cujo ÚNICO objetivo é conseguir dinheiro público para suas falcatruas) ACABARAM com o humor. As piadas e caricaturas do Chico Anísio não incomodavam “suas vítimas” pois ele debochava de todos. O politicamente correto é uma farsa!

  3. Como argumentar com pessoas tão obtusas (não, isso não é uma agressão, é uma constatação!) que insistem em nem ao menos admitir que uma moeda tem sempre 2 faces??? Podemos obviamente gostar mais de uma que da outra e com isso denfendê-la, porém sem nunca adotar nossa visão como soberana, característica marcante dos idiotas soberbos….

    Reproduzo abaixo uma reflexão que recebi por e-mail acerca do artigo, e que achei bastante interessante, escrita por algum representante da PRAFAC (http://www.prafazercultura.org/):

    No momento de seu desaparecimento,não estamos rendendo homenagens ao homem Chico Anísio, e sim ao grande artista que inegavelmente ele foi,bem como a sua capacidade fenomenal de se desdobrar em mais de 200 personagens,todos tão diversos e tipicamente retratos de tudo o que se vê pelas ruas.

    Respeito a quem escreveu o artigo,desde que se limite a dizer o que pensa,estando ciente de que é apenas a sua opinião,embora inoportuna.

    O homem Francisco Anísio certamente errou inúmeras vezes,como decerto tambem o Sr. Luiz Cesar,doutor em tantas coisas, que julga poder prescindir até de seu sobrenome….

    Mas o artista,criador,redator,compositor,diretor,apresentador,locutor,etc,etc…esse, foi genial!

    Se eu gostasse de falar palavrão,usaria aqui aquele ditado popular de que “a inveja é uma m…”Mas como não gosto…sinto muito pela sua insatisfação,senhor,porem vou continuar aplaudindo e sentindo falta do Chico Anísio e de todos os seus personagens que alegraram por tanto tempo o povo brasileiro,independente de sua verborragia inoportuna…e até peço licença ao grande Chico para imitar um dos inúmeros bordões criados por ele:”sou…mas quem não é…”

  4. Não vou criticar a opinião dessa pessoa, só uma coisa ele afirmou que Chico era ou foi viciado em cocaína (no Brasil até onde eu sei, é crime), imputar um crime à uma pessoa sem prová-lo é calúnia segundo o codigo Penal art. 138. Esse artigo deve ser encaminhado à família do falecido para serem tomadas as providências cabíveis.

  5. É impressão minha ou todos que criticaram este artigo não escreveram uma linha sequer para contrapor algum ideia nele exposto? Apenas descarregaram suas opiniões sobre o caráter do autor mas não apresentaram um argumento válido sequer para refutar seus conceitos.
    Achei o artigo bastante interessante, justamente por fazer contraponto a todo alarde da mídia sobre a genialidade de alguém que, ao meu ponto de vista, foi no máximo um grande piadista que soube criar um personagem para cada anedota que inventava e que se esgotava na medida que a repetição da piada se auto-sabotava.

  6. Acho lamentável a cultura do “morreu virou santo”, uma vez que em vida o Chico nunca se defendeu das coisas que eram ditas a seu respeito, então, quem cala consente. As colocações do autor ao que me consta não são inventadas, pois, acompanhei a carreira dele desde criança, e do que eu me lembro, seus personagens sempre foram populares por reforçarem o preconceito e o desrespeito que está embutido em nossa cultura, sim, somos um povo que cultiva ainda muito preconceito contra negros, mulheres, homossexuais, enfim, contra o diferente e contra as diferenças, embora vendamos uma imagem de liberais, alegres e desinibidos. Mais, todos aqueles que ousam enfrentar esses preconceitos pagam muito caro por isso. Quanto aos personagens, lembro que meu irmão quando ainda era criança sofreu muito deboche na escola por se chamar Reginaldo, que era um tipo ridículo por ele criado, asssim como, muitas mulheres ouviram seus companheiros mandarem elas permaneceram “caladas”. Enfim, não julgo a capacidade do humorista em criar personagens, mas acho que é preciso ter mais cuidado, pois os famosos tendem a ser imitados e dessa forma, podem contribuir de forma negativa com o que temos de pior em nossa sociedade.

  7. Está difícil achar comentários com argumentos daqueles que criticam o autor do texto. As pessoas se limitam a desqualificá-lo, mas sem dar argumentos. Luiz Cézar põe o dedo na ferida do brasileiro, no inconsciente coletivo que a Rede Bobo soube construir com muita “inteligência”.

  8. que coisa horriveluma pessoa falar de quem nao pode mais se defender,minha mae que tem razao pessoas com tanto estudo e tao ignorante .

  9. eu acho um absurdo alguem falar, de quem nao pode mais se defender,porque nao falou antes o seu veneno e alem do mas voce nao é perfeito ,cheio de odio no coraçao.sua familia ficaria triste se falassem de vocedepois de morto,saiba perdoar se voce tem raiva de alguemestudo e.minha mae é que tem razao pessoas com tantoe.. tao ignorante fica o estudo sem valer de nada.

  10. Cara, vc é um grande dum CAROLA. Primeiro, não sei como conseguiu títulos de mestrado com uma retórica tão vil e uma capacidade de argumentação tão questionável. Sua formação totalmente pragmática não te deu a capacidade de entender as transformações do mundo, da sociedade, de tudo enfim. Vc só absorveu conceitos, coisas. Julga, condena, exatamente da maneira que a sociedade pede que você faça hoje: tentar definir o certo e o errado e com isso tolher a liberdade das pessoas. Levanta a bandeira do preconceito pra qualquer coisa, e vem botar o dedo na cara do que cheira cocaína; vem reclamar da relação social que uma pessoa teve há 15, 20 anos atrás. Você não é uma pessoa cheia de valores, vc é uma pessoa cheia de conceitos, que só servem a você e pra satisfazer as suas intenções.

    Por mais que eu critique o regime militar que AINDA se instaura no Brasil, por mais que eu almeje algo diferente do que se viveu e do que se vive, e sobretudo, por mais que eu sempre tenha achado esse comediante um verdadeiro PORRE, um puta dum chato, eu ainda me incomodo mais com o seu discurso. Ele é o vento que leva adiante a semente da intolerância, do julgamento por valores. É tudo o que não se precisa mais.

    Vai estudar, vai… dessa vez alguma coisa que te traga idéias novas, não aquilo que te faz ver melhor o mundo como você já o vê.

  11. PQP, recalque tem limite!!!! Puta bando de gente chata!!!! Nem estudando tanto esse mala conseguiu se projetar no que quer que seja provavelmente!! Volta pro mar oferenda!!!! Provavelmente só escreve numa linguagem acadêmica tão hermética que os pobres mortais desvalidos que ele tanto defende jamais entenderiam… só meia dúzia de chatos feito ele mesmo….. porque essa gente não faz nada de verdadeiramente útil pro país heim?????? NUNCA ouvi falar de um mala desses que tivesse sucesso de fato!!!!

    Que alguém não goste do cara, que não curta o tipo de humor dele, ok! E vive la différence!!! Mas daí a fazer uma análise tosca como essa, sem o mínimo de cuidado de avaliar as coisas como são, devidamente posicionadas no seu tempo, etc, é demais! Mais fácil é meter o pau em quem é praticamente unanimidade e de lambuja aproveitar pra deixar sobrar algo pra Globo!!!! Duvido que boa parte desses que falam tão mal da Vênus Platinada recusariam um emprego lá!!!!

    *Luiz César é Economista, Linguista, Mestre em Cultura, Mestre em Tecnologia (todos pela USP) e Master em Gestão Econômica de Projetos pela GV E MALA SEM ALÇAAAAAA!!!!

  12. Absolutamente pertinente, oportuno e brilhante o artigo. É necessário um contraponto de verdade à acachapante onipresença da mídia golpista, corrupta, fascista.
    Mantenha o ritmo, o destemor e o apego á verdade, Prof. Cézar!

  13. Esse Luiz Cesar é um sério concorrente ao título do cara mais chato do planeta. Ainda que alguém não seja fã de Chico Anísio, sem dúvida alguma foi um dos maiores artistas brasileiros. E provavelmente, do mundo.

    Sobre o “ditador” João Figueiredo, independentemente de sua nada brilhante inteligência, foi aquele que anistiou os esquerdistas, muitos deles hoje podres de ricos com o dinheiro surrupiado dos cofres públicos. Figueiredo ainda abriu caminho para a saída pacífica dos militares do comando do governo (quem dera o mesmo ocorresse numa Cuba da vida). E ainda viveu seus últimos anos com sua nada opulenta aposentadoria da reserva. Ou seja, nem ele nem sua família fizeram fortuna decorrente da passagem pela presidência.

    • Concordo plenamente! Aliás, acho que deveria partir um cruzeiro com todos esses órfãos brasileiros de Fidel (que já morreu, só esqueceu foi de deitar!) pra Cuba!!! Pena que seja tão perto!!!!

    • Esse sujeito, Luis Cesar, deve ser um despeitado petista, incapaz de admitir a genialidade de Chico Anysio. Como todo petista/petralha tenta desclassificar o trabalho e o talento alheio. O Figueiredo deve estar se revirando no túmulo de arrependimento por ter anistiado esses esquerdopatas terroristas e assaltantes que vivem à solta pelo país, assombrando toda a nação!

  14. brilhante, diante de tantos lacaios e lambe botas do que pior a industria cultural produz, um artigo no mínimo sensato. parabéns!

  15. este Luiz Cesar,tem tantos titulos e acho que não aprendeu nada, volta para a escola,meu filho, pena que o Cchico partiu,porque poderias ir para a escolinha do professor Raimundo, tenho certeza que teus titulos valeriam a pena.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here