Centrais preparam nova greve geral contra reformas e gestão Temer

Publicado em: 30/05/2017 às 10:31
Centrais preparam nova greve geral contra reformas e gestão Temer

Em reunião na tarde de segunda (29), na sede nacional da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), o Fórum das Centrais Sindicais avaliou a marcha Ocupa Brasília, do último dia 24, e debateu os próximos passos da luta contra o governo Temer e as reformas trabalhista e da Previdência. Participaram lideranças da CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central, UGT, CSB, Intersindical, Conlutas e CGTB. Wagner Gomes, secretário geral da CTB, destacou o sucesso da mobilização realizada em Brasília e o estágio crescente da resistência dos trabalhadores, apontando a necessidade de uma nova greve geral.

“O ato cumpriu grande papel, foi a maior mobilização em muitos anos. Mesmo com a repressão da polícia, foi uma demonstração de força que coloca as centrais sindicais em outro patamar. Por isso, a CTB acredita que devemos convocar outra greve geral para dizer bem alto Fora, Temer e derrotar as reformas do governo”, avaliou o dirigente. Para Juruna, da Força Sindical, deve-se “valorizar a construção da pauta unitária e do movimento amplo que estamos fazendo e é preciso dar continuidade à luta”. José Calixto, da Nova Central, acredita que o foco da luta deve ser o Senado para que não se aprove o projeto de reforma trabalhista.

“Ações de grupos vanguardistas não levam a lugar nenhum. É preciso apostar no movimento de massas. Apontar uma nova greve geral é importante, assim como marcar um dia nacional de mobilização para prepará-la”, disse Sérgio Nobre, representante da CUT, que também criticou a repressão da polícia do Distrito Federal contra os manifestantes e a ação de grupos infiltrados no último ato.

Ao final, Wagner Gomes encaminhou os consensos estabelecidos na reunião. “A palavra de ordem continua sendo “Fora, Temer e nenhum direito a menos”; fica convocada uma nova greve geral, com indicativo de data entre os dias 26 a 30 de junho”, resumiu o sindicalista.

Fonte: Portal Vermelho.

Deixe uma resposta