Carnaval do Campeche diz Não é Não

A comunidade do Campeche realizou no sábado, 22 de fevereiro, um ato em memória e de protesto pelo assassinato da prof. Elenir de Siqueira Fontão, esfaqueada por seu ex-companheiro. O feminicídio aconteceu no local de trabalho de Elenir, a Escola de Educação Basica Januaria Teixeira da Rocha, onde ocupava a direção desde janeiro.

Caminhando desde a Av. Pequeno Príncipe até a escola, no final da Rua da Capela, a comunidade encerrou a manifestação com várias mulheres expondo suas denúncias e demandas pelo fim da violência de gênero.

Leia mais: Homem que matou diretora no Campeche é encontrado morto na prisão

No domingo, o bloco ONODI, também do Campeche, levou uma faixa NÃO AO FEMINICÍDIO em um dos seus carros. Na parada final do trio elétrico, entre a Igreja São Sebastião e a Escola Januária, a banfa também fez um chamado pela morte da professora, lembrando a todo mundo que NÃO É NÃO!

Este slideshow necessita de JavaScript.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.