Canela na Espanha

Publicado em: 18/08/2011 às 21:13
Canela na Espanha

 Por Raul Longo.

Entre as polêmicas do bairro e praia do Sambaqui em Florianópolis, sem dúvida a da lendária cachorra Canela é das mais intrigantes.

Boêmia e sambista, há quem aponte essas características como um resultado genético. “Teve de quem herdar!” – comentam as senhoras mais compenetradas e responsáveis. No entanto são poucos os que se referem a Canela como a cachorra do Raul Longo. Alguns até mesmo indicam o Raul como o humano da Canela, embora a maioria não faça a menor ideia de quem seja o Raul. Já a Canela se distingue pela admiração e carinho de todos, sejam moradores ou visitantes, crianças ou adultos.

Pelo link abaixo, quem ainda não conhece a Canela poderá assistir sua participação em um dos mais populares programas da TV espanhola.

“Callejeros y Viajeros” é um programa juvenil que através de linguagem dinâmica procura abordar os mais amplos aspectos dos lugares que documenta, reportando cidades turísticas dos mais diversos países e continentes. Uma tática inteligente e simpática empregada pelos produtores do programa é a utilização de pessoas com disponibilidade para voluntariamente atuar como anfitriões ou cicerones, permitindo que aqueles que vivem no local documentado orientem e informem aos espectadores deste campeão de audiência em seu horário (domingos à noite) e em todas as regiões de Espanha.

A escolha desses apresentadores ou cicerones recai sobre cidadãos espanhóis que residam na região documentada, mas não apenas, pois certos aspectos, como por exemplo a supervalorização das mesas das festas e eventos promovidos no bairro do Jurerê, em relação às pessoas que nelas se sentam, sem dúvida é algo complexo para a compreensão de um europeu, por mais que tenha conhecimento e experiência de Brasil. Nesses casos, o melhor mesmo é deixar que um brasileiro explique e demonstre assuntos que nos envergonham perante o mundo.

No entanto, o que aqui realmente importa são os trechos apresentados pelo espanhol amigo de Canela: Santiago Serrano.

Morador do Sambaqui há cerca de uma década, Santiago assume como cicerone em dois momentos: mais ao final do programa apresentando a produção de ostras da admirável Gioconda no bairro vizinho de Santo Antonio de Lisboa, e uma demonstração da academia de capoeira do Sambaqui; e um pouco depois do início a partir de seu encontro com Canela. Em seguida, no interior do Rancho do Neco, as imagens são dos companheiros de boêmia da cachorra: o performático Severo (de barba); a quituteira Leila (de branco); a dançarina de salsa e samba Rosane; Márcio, o Carlitos; e diversos outros de igual grandeza e validade.

Na Ponta do Sambaqui corre o boato de que Canela seja a verdadeira proprietária do rancho e utilize da boa fé do interprete e compositor Neco (de chapéu) utilizando-o como “laranja”. Embora muitos insistam nessa versão as investigações até agora concluíram que o pequeno grande pescador Lourenço, como proprietário do rancho, aos domingos se associa unicamente ao Neco para reunir os mais destacados músicos da Ilha de Santa Catarina, atraindo a atenção e a canja de grandes nomes nacionais como Yamandu Costa e internacionais como Francis Covan, violinista, acordeonista e compositor do Cirque du Soleil.

Interpelado sobre o caso, Raul Longo apresentou uma receita da médica veterinária Amanda Haubbe afirmando que já lhe bastam os custos para tratamento das debilidades que Canela adquire por sua notívaga vocação sambista. A prescrição consta do xarope Tossi Canis e administração oral de 1 comprimido de Ketofen (20 mg) a cada 24 horas pelo período de 5 dias.

Reconhecendo-se parcialmente responsável pelo fascínio de Canela ao samba realizado em seu rancho de pesca, Lourenço colaborou com o urgente transporte de Canela ao médico durante uma crise de forte gripe em seguida a uma madrugada fria e chuvosa, de cortante vento sul.

Canela não nega nem afirma coisa alguma, limitando-se a reiterar admiração pelo seu ídolo maior: Noel Rosa. Uma identificação que muito tem preocupado o Raul, impotente para controlar as devassidões da irresponsável doidivanas.

Quanto a esta edição do programa Callejeros y Viajeros acessada pelo link abaixo, apesar de produzida em dias de mau tempo de início deste inverno que têm afetado a saúde da mais famosa sambista do bairro, não deixa de ser interessante. Tanto pelas imagens e dinamismo quanto pelas informações que, embora superficiais, cumprem com a intenção de apresentar tanto os aspectos mais ricos quanto os mais pobres da sociedade florianopolitana. E cada qual que conclua por si o que é rico e o que é pobre.

Entre riqueza e pobreza os conceitos de Canela são bem definidos e os aficionados que integram seu fã clube podem controlar e selecionar sua imagem na parte inferior do vídeo, arrastando o cursor para ponto indicado por 00:14 minutos, no momento do encontro dos dois amigos: o espanhol e a canina cabrocha brasileira.

http://play.cuatro.com/directo/portada/callejeros-viajeros/ver/florianopolis#directo/portada/callejeros-viajeros/ver/florianopolis

 Foto: Celso Martins.

Deixe uma resposta