Canasvieiras, Norte da Ilha: abriu a barra do rio

canasvieiras

Por Ana Echevenguá.

“Os efeitos das chuvas fortes do final de semana de 22 e 23 de janeiro de 2013 prejudicaram os turistas no Norte da Capital. A qualidade da água do mar em Canasvieiras também acabou afetada com a presença de coliformes fecais. (…) O técnico da FATMA conta que (…), o balneário sofreu o rompimento da barra do Rio do Braz, próximo ao trapiche, ponto 22 do monitoramento realizado pela FATMA. O técnico destaca que este rio normalmente permanece com seu contato ao mar fechado, só rompendo em fortes chuvas e ação da maré. O técnico observa que o rio vem da antiga Colônia Penal, permeando por entre o bairro e recebendo provavelmente direta ou indiretamente contribuições de esgoto tendo inclusive próximo à foz a presença de Estação Elevatória de Esgoto que quando apresenta problemas extravasa para o rio o esgoto que deveria recalcar. De acordo com Marlon, nas avaliações que o rio do Braz sofreu por diversas oportunidades, sempre apresentou valores significativos de contaminação fecal, ou seja, ele serve como depósito de águas contaminadas…”

Fonte: http://floripamanha.org/2011/02/fatma-alerta-sobre-as-condicoes-de-balneabilidade-em-canasvieiras/

A leitura da notícia acima, para os moradores e usuários da Baía de Canasvieiras – um dos mais belos recantos de Florianópolis-SC, nada mais é do que a repetição do óbvio, uma tragédia anunciada aos quatro cantos do Planeta.

A Baía de Canasvieiras está impactada negativamente, faz tempo, pelo esgoto despejado na areia e nas águas.

É de conhecimento público que a empresa contratada pela administração pública do município é ineficiente, inoperante, imperita, imprudente…

Sábado, dia 21 de setembro de 2013, mais uma vez, a “barra do rio do Braz abriu” – expressão corriqueira por essas bandas… ou como bem falou o técnico da FATMA (nosso órgão fiscalizador estadual): o balneário sofreu o rompimento da barra do Rio do Braz, próximo ao trapiche, ponto 22 do monitoramento realizado pela FATMA.

Traduzindo em miúdos: o rio encheu por causa da  constante chuva que cai na Ilha da Magia, misturada ao esgoto lançado no Rio, ultrapassou a faixa de areia que o segurava e chegou ao mar.

Agora, o mar está poluído, com excesso de coliformes fecais. Escuro e fétido.

E a culpa é de quem? Ora, da chuva, dos moradores que não ligam sua rede de esgoto à rede coletora deste, …

Em momento algum, aventa-se a possibilidade de falhas no sistema de tratamento pelo qual pagamos regiamente, mês a mês.

O crime ambiental acontece; mas o silêncio é geral. Conivência por conveniência.

Psiuuu! Este é um tema complexo para ser exposto. Não se pode falar da praia poluída sob pena de espantarmos o turista, uma das principais fontes de renda da Ilha da Hipocrisia.

O melhor a fazer é rezar pra parar a chuva e juntar dinheiro pra pagar a conta de água e esgoto que chega às nossas casas todo mês.

Ana Echevenguá, advogada, OAB/SC 17.413, presidente do Instituto Eco&Ação, e-mail:[email protected].

EcoDebate, 23/09/2013

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.