Exumação do corpo de João Goulart é marcada para 13 de novembro

Brasil,Ditadura

Procedimento será feito para apurar circunstâncias da morte do ex-presidente, que oficialmente morreu de ataque cardíaco

Por Valter Campanato.*

Goulart

Ao lado de Christopher Goulart, neto de Jango, Rosário reiterou que a exumação será realizada em novembro.

São Paulo – A ministra da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, anunciou hoje (16) que a exumação do corpo do ex-presidente João Goulart será realizada em 13 de novembro. O procedimento deve-se a dúvidas sobre a verdadeira causa da morte de Jango, em 6 de dezembro de 1976, na Argentina, aos 57 anos. Oficialmente, o motivo foi um ataque cardíaco, mas há suspeitas de que ele teria sido vítima de envenenamento.

“Estamos em plenas condições de realizar este procedimento em busca da verdade”, afirmou a ministra, que se reuniu hoje com Christopher Goulart, neto do ex-presidente, e com peritos que analisam o caso. Pela manhã, especialistas do Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal e representantes da Comissão Nacional da Verdade e do Ministério Público Federal debateram os procedimentos necessários à exumação.

Os técnicos deverão chegar dois dias antes ao Cemitério Municipal de São Borja, no interior do Rio Grande do Sul, onde Jango foi sepultado às pressas, devido a pressões de agentes da ditadura. Os restos mortais serão levados a Brasília, possivelmente em ato com honras de chefe de Estado, segundo intenção da ministra. A previsão é de que os restos mortais do ex-presidente sejam devolvidos a São Borja justamente em 6 de dezembro.

“Hoje, podemos dizer, com segurança, que o ex-presidente foi perseguido todos os dias de sua vida”, afirmou Maria do Rosário.

* Agência Brasil

Foto: valterc.jpg

Fonte: Rede Brasil Atual

Post to Twitter Post to Facebook



As ideias e opiniões emitidas nos artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores, não refletindo, necessariamente, as opiniões do portal Desacato.