Brasil: congressistas fazem moção de apoio e solidariedade a Cuba

Pequena ilha se volta agora para a pandemia do coronavírus covid-19, enviando seus profissionais treinados na ajuda humanitária e médica aos países mais atingidos

Brigada de médicos cubanos na Itália

Jornal GGN – O Grupo Parlamentar Brasil Cuba, no Congresso Nacional, divulgou a Moção de Apoio e Solidariedade a Cuba, por relevantes serviços prestados à saúde no Brasil e no mundo. A pequena ilha se volta agora para a pandemia do coronavírus Covid-19, enviando seus profissionais treinados na ajuda humanitária e médica aos países mais atingidos.

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro teve como meta primordial desmontar o Mais Médicos e demonizar o trabalho de profissionais cubanos no país. Com a pandemia, a ação desses profissionais ajudaria, e muito, no controle das infecções em pequenas localidades espalhadas pelo país, que hoje estão desassistidas.

Leia a moção abaixo.

Grupo Parlamentar Brasil Cuba no Congresso Nacional

Brasília, 23 de março de 2020

Moção de Apoio e Solidariedade a Cuba

Neste momento de comoção mundial derivada da pandemia de coronavírus, vimos nos unir à opinião pública mundial e manifestar nosso apoio e solidariedade ao povo cubano, seus dirigentes e, principalmente, aos seus profissionais médicos e enfermeiros em mais essa batalha que põe em risco a saúde e a vida da humanidade.

Em Cuba não se mercantiliza a vida. A saúde é uma prioridade nacional e considerada um direito humano. A expectativa de vida, 78 anos, é igual ou superior a de países do Primeiro Mundo. O índice de mortalidade infantil, por sua vez, é  inferior a cinco óbitos para cada mil nascidos vivos.

A respeito do sistema de saúde de Cuba, o Diretor-Geral da Organização Mundial de Saúde-OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, sintetizou: “Um dos melhores sistemas de saúde do mundo”. Uma realidade que povo brasileiro reconhece por experiência própria, vivenciada nos mais longínquos rincões assistidos pelo exitoso programa Mais Médicos, composto majoritariamente por profissionais cubanos. Foram 4.053 municípios e 63 milhões de brasileiros atendidos, incluindo famílias quilombolas e indígenas.

Para infelicidade geral do povo brasileiro, o Mais Médicos, um programa construído comumente por dois países livres e soberanos, foi, unilateral e violentamente, destruído de forma irresponsável pelo presidente Bolsonaro. Com o sistema brasileiro de saúde em colapso, foi necessário uma pandemia para despertar os meios de comunicação locais:

O desmonte do Mais Médicos foi responsabilidade construída por um irresponsável.

O primeiro crime de responsabilidade de Bolsonaro foi destruir o Mais Médicos.

Enquanto isso, após ter sido barrado em portos do Caribe com cinco casos de Covid-19 confirmados a bordo, o Cruzeiro britânico MS Braemar recebeu permissão do governo cubano para atracar na Ilha. Emocionada, passageira do navio agradece:

Obrigada, Cuba, por abrir seu coração a nós.

Na Itália, um país europeu dos mais ricos do mundo, a população recebe, com calorosa salva de palmas, os profissionais de saúde cubanos que chegam para irmanadamente combater o inimigo comum.

Esse é o exemplo de humanismo e solidariedade que a pequena ilha de Cuba, bloqueada há 60 anos pela maior potência bélica do planeta, os Estados Unidos, dá ao Mundo. E nós, brasileiros, orgulhosamente nos sentimos no dever de prestar apoio e solidariedade ao valoroso povo cubano e aos seus profissionais de saúde.

Deputada Lídice da Mata (PSB-BA)

Presidente

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.