Bolsonaro veta integralmente projeto de psicologia e assistência social em escolas públicas

Bolsonaro justificou o veto dizendo que o projeto cria despesas ao Poder Executivo sem indicar uma fonte de receita

Foto: Captura de tela Youtube

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) vetou integralmente projeto de lei que tornava obrigatório a prestação de serviços de psicologia e de serviço social nas redes públicas de educação básica. Decisão foi publicada nesta quarta-feira (9) no Diário Oficial da União.

Bolsonaro justificou seu veto ao Projeto de Lei nº. 3.688, de 2000, dizendo que o mesmo cria despesas ao Poder Executivo sem indicar uma fonte de receita

Campanha de Financiamento Coletivo para não esquecer da Novembrada. Faça como os apoios institucionais da Apufsc Sindical, Fecesc, Editora Insular, Sinergia, Sintram/SJ, Sintespe, Sinasefe, Sindsaúde, Sintrasem e Sinte e apoie a realização do “Quarenta” você também. Para contribuições individuais, clique em catarse.me/quarenta

“A propositura legislativa, ao estabelecer a obrigatoriedade de que as redes públicas de educação básica disponham de serviços de psicologia e de serviço social, por meio de equipes multiprofissionais, cria despesas obrigatórias ao Poder Executivo, sem que se tenha indicado a respectiva fonte de custeio, ausentes ainda os demonstrativos dos respectivos impactos orçamentários e financeiros, violando assim as regras do art. 113 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, bem como dos arts. 16 e 17 da Lei de Responsabilidade Fiscal e ainda do art. 114 da Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2019 (Lei nº 13.707, de 2018)”, argumenta a Presidência da República, que ouviu os ministérios da Educação e da Saúde para decidir pelo veto à matéria.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.