Avisa lá. Por Guigo Ribeiro

 

Imagem: Reprodução

Por Guigo Ribeiro, para Desacato.info.

O “Capitão”, banhado numa soberba inconsequente, defecou pela boca (mais uma vez)
ao acreditar que mediante ao seu afundamento, o Brasil afunda junto. Mera ilusão de
quem ocupa um posto pautado nas próprias vontades. Além, óbvio, das vontades dos
que ele lambe as botas. Indicar afundamento por consequência do próprio fracasso é
gozar de um estado de embriaguez. Também gozar da cara do povo.
“Capitão”, o Brasil não afunda em seu fracasso. O Brasil já afundou com sua eleição. O
Brasil barrigou o fundo do mar ao, de maneira veementemente, compactuar com seu
fascismo, com sua podridão e incompetência.
O Brasil afunda no constrangedor e estratégico silêncio de Marielle. E quando ocorrem
indícios da sua relação e de seus “meninos”, o Brasil, afundado e esquecido, é
preenchido com vermes famintos. Porque é vergonhoso seu desespero em esconder
(proteger) seus barbados. O surto para a nação mostrou.
Afundamos na tragédia de que alguém, por sadismo ou ignorância, viu o “Capitâo”
como resolução.
Não, “Capitão”, o país não afunda em seu fracasso. O Brasil não afunda em seu não
êxito. O Brasil afunda no instante em que o técnico de som pluga seu microfone. Ou
quando algum profissional o serve água. É diferente.
O Brasil afunda cada dia que seu “juiz” acorda em liberdade. Afunda quando é
necessário dizer o óbvio. Quando é alvoroço sua relação precoce com o “juiz”. Quando
o ministro da economia faz Black Friday’s semanais.
Quando crianças morrem por balas policiais e você insiste no ferro que tira a vida como
resolução. Quando a corja de sanguessugas que o acompanharam rumo aos cargos
resolvem falar seus bastidores.
O Brasil afunda na não surpresa de tudo que vivemos. No marasmo. O Brasil afunda
banhado em óleo.
Então avisa lá. Avisa que nosso fracasso não depende do “Capitão”. Imagina! “Capitão”,
o seu fracasso é factual. Nós afundamos moralmente ao te levar ao posto de presidente.
E tal como 1964, eis mais uma ferida longa. Descansemos em paz.

Guigo Ribeiro é ator, músico e escritor, autor do livro “O Dia e o Dia Que o Mundo Acabou”, disponível em Edfross.

A opinião do/a autor/a não necessariamente representa a opinião de Desacato.info.

#AOutraReflexão
#SomandoVozes

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.