Audiência Pública: “É fácil fazer discurso que está se importando com os problemas e quando vai votar vota contra a classe trabalhadora”

Publicado em: 04/07/2017 às 14:20
Audiência Pública: “É fácil fazer discurso que está se importando com os problemas e quando vai votar vota contra a classe trabalhadora”

Por Claudia Weinman, para Desacato. info. 

Organizações do campo e da cidade, movimentos e pastorais sociais, sindicatos, participaram na tarde de ontem, 03 de julho, de uma audiência pública realizada na Câmara de Vereadores de São Miguel do Oeste/SC. A agenda foi acertada pelo Deputado Federal Celso Maldaner do PMDB da região e tinha como objetivo central elencar as reivindicações das entidades sobre a situação das Brs 163, 282 e 158. Na oportunidade, as organizações realizaram um protesto contra os deputados que votaram a favor das reformas trabalhista, previdenciária e a favor da terceirização.

Conforme o representante da Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Fetraf) de Dionísio Cerqueira, Jonas Ansolin, os movimentos, pastorais e demais organizações levaram para a audiência pautas que vão além da revitalização das Brs. “Entendemos que discutir esse problema nas rodovias é importante sim, são questão que devem ser resolvidas. Mas por outro lado, “os buracos” que estão sendo colocados sob os direitos da classe trabalhadora são muito maiores. Essa audiência foi chamada por um deputado do partido do PMDB que aplicou um golpe no país. Participamos da audiência para deixar claro que queremos uma posição dos deputados que aqui representam o governo, que votaram à favor da reforma da previdência, trabalhista. Porque é fácil fazer discurso que está se importando com  os problemas e quando vai votar vota contra a classe trabalhadora”, disse ele.

A representante do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Miguel do Oeste, Vaine Plautz, disse que o sindicato participou da audiência também no intuito de fazer uma série de cobranças. “A situação das rodovias são questões óbvias, que deveriam ter sido resolvidas. Viemos aqui para cobrar dos deputados que votaram contra nós trabalhadores e trabalhadoras”, enfatizou Vaine.

A Professora aposentada que faz parte do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Maravilha, Loreni Maria Daneluz elencou a questão das rodovias e aproveitou a audiência para falar sobre a situação das rodovias de acesso ao município. “Queremos uma resposta concreta. Todos os dias vemos acidentes com mortes, exigimos respeito”, disse ela.

 “Quanto ao golpe nós fizemos o que o país queria”, disse João Rodrigues (PSD)

Durante a audiência pública, Deputados Federais como João Rodrigues (PSD), Celso Maldaner (PMDB) e Valdir Colatto (PMDB) receberam vaias de algumas pessoas representantes das organizações  que participaram da audiência para cobrar um posicionamento desses políticos quanto a votação que fizeram favorável ao desmonte dos direitos da classe trabalhadora.

Em sua fala, o Deputado João Rodrigues (PSD) mencionou: “Vou deixar o meu recado apenas para quem deseja resultado e trabalho. Nós viemos aqui resolver um problema grave de uma grande região. Um povo que paga imposto, que sustenta esse país, empresários do setor produtivo. Queremos somar forças e produzir. Não viemos fazer discurso. Entendo o sentimento dos meninos aqui mas peço que não atrapalhem São Miguel do Oeste, o setor produtivo, quem quer fazer algo. Viemos aqui discutir obra pra melhorar essa terra não para discutir a roubalheira que implantaram no país nesses últimos 14 anos”.

O Deputado Federal Valdir Colatto (PMDB), conhecido na região Oeste pelos ataques aos povos indígenas, também fez uma fala de repudio às organizações presentes. “Estamos aqui para trabalhar. A questão da juventude de fazer barulho, já fui assim, não queria que as coisas acontecessem. Penso que nós estamos aqui, buscando dinheiro, querendo construir as coisas. Pagando a conta que não era nossa. Não vamos ficar aqui com uma minoria barulhenta que não respeita a maioria trabalhadora, que produz, que gera emprego. Queria dizer que estamos trabalhando dia e noite para resolver a questão das rodovias. Essas rodovias que transportam a comida que chega na mesa inclusive daquele garoto ali que está gritando com  a camisa do ‘Che Guevara’, tinha que ir lá para Cuba. Essas pessoas que ficam invadindo propriedades e não respeitando as propriedades dos agricultores que fazem a diferença”.

Celso Maldaner (PMDB) também fez uma fala e foi cobrado pelas organizações por ter votado a favor das reformas citadas acima. Ele focou sua fala nas questões relacionadas às BRs.

Sobre as BRs

A população manifestou sua insatisfação durante a audiência em razão da promessa feita pelo ministro dos Transportes, Maurício Quintella Malta Lessa, o qual ficou de participar da audiência e acompanhar as visitas que foram feitas em alguns trechos da BR- 282 e BR- 163. Quintella enviou o representante do Departamento Nacional de Trânsito, Valter Casimiro Silveira para essas atividades.

Conforme o Presidente da Associação dos Municípios do Extremo Oeste de Santa Catarina, Claudio Junior Weschenfelder, a audiência e a passagem das autoridades pela região do Extremo-oeste era esperada fazia um tempo. “A nossa região clama pela conclusão definitiva da revitalização da Br-163. Hoje estamos impedidos de fazer deslocamento noturno de Dionísio Cerqueira a São Miguel do Oeste pelas péssimas condições na rodovia. A tua presença Valter nos alivia e nos dá uma luz nesse momento para oferecer um horizonte para a nossa região”, disse ele.

O representante do Dnit, Valter Casimiro Silveira salientou que atualmente o problema do Dnit não é financeiro. “Hoje o problema do Dnit não é dinheiro, a bancada de parlamentares de Santa Catarina colocaram emendas para concluir as obras, tem orçamento. E o Dnit está com todo contrato empenhado, tocando com velocidade o primeiro lote, e quer colocar a velocidade no lote 2 para resolver essas situações o quanto antes”, disse.

Silveira pediu desculpas pela problemática e disse que em alguns casos como o da BR-163 a empresa contratada acabou não executando o serviço e é necessário aguardar as novas licitações. No caso da BR-282 ele salientou que os trabalhos estão em andamento.

 Direção da Escola São Sebastião entrega documento ao representante do Dnit

A Educadora Sandra Denise Zawaski, que atua na Escola São Sebastião, em São Miguel do Oeste, fez algumas reivindicações para o representante do Dnit e deputados. Segundo ela, o educandário fica localizado próximo da BR-163, por onde crianças e adolescentes fazem a travessia para chegar até a escola. Ela citou casos onde aconteceram acidentes motivados pelo excesso de velocidade no local.

Estudantes da Escola São Sebastião.

Segundo Sandra, a direção da escola, em conjunto com a APP e comunidade possui sugestões para resolver a situação. “   Em 2012 tivemos o primeiro acidente envolvendo uma aluna. Também em 2013 o acidente envolvendo outros dois estudantes. Próximo da nossa escola não tem placa dizendo que lá existe uma escola, precisamos de sinalização. Sugerimos a colocação de um semáforo para veículos e pedestres, para facilitar a travessia dessas crianças a chegarem até a escola. Sugerimos também uma calçada passeio e além disso, que seja estudada a viabilidade de uma passarela ou túnel”, explicou.

Diretor Jair Ecker, realizando a entrega do documento ao representante do Dnit.

Após a fala da Educadora, o Diretor da Escola, Jair Ecker, realizou a entrega dessas sugestões e reivindicações ao representante do Dnit.

Fotos: Claudia Weinman e Paulo Fortes.

Deixe uma resposta