As Três Marias

Imagem: Astrofísica y Física

Por Guigo Ribeiro, para Desacato.info.

– Desce dessa caçamba, Maria. Tá tudo sujo aí e você vai arrebentar seu chinelo. Não vou arrumar de novo! Assim você perde essa mania de ficar subindo nas coisas. Parece que tudo é lugar de trepar, gente. Vai! Corre ali e fala com aquele homem. Tá ficando tarde e sua irmã tá pesando muito! Essa menina não come nada e tá esse chumbo. Anda! Ajuda a mãe. Assim a gente vai embora logo e dá tempo de arrumar janta. E larga esse pau!

– Não é pau! É uma varinha mágica! Ah, mãe. Cansei! Tamo o dia todo andando e o povo fazendo cara de nojo pra gente. Pede na padaria e “não tem”. Mesmo eles tendo tanto. Pede nas porta e é a mesma coisa. Pede pra dona lavando a calçada e vem com aquela cara de bosta. Devia, invés da calçada, lavar a cara…   

– Para de ser boca suja e acelera! Todo dia você brinca muito mais do que me ajuda. Assim fica difícil! É julho e você tá de férias da escola. Vai comer o quê, hein?

– Essa hora da noite nunca dá nada! Você sabe! Vamo embora! Porque…

– … porque o povo tá cansado, Maria! Trabalhou o dia todo. Igual nóis. Mas nóis tem que pedir mais um pouco. Também não gosto, mas na vida a gente não faz só o que gosta. Você acha que gosto de pedir?

– Não. Nem eu. Gosto de fazer mágicas! Mas também gosto de ir pra casa.

– Eu também! E com o carrinho cheio! Você sabe fazer essa mágica? Não! Então vamo logo! Assim a gente não precisa, por uns dias, ficar batendo de casa em casa no sol quente. Fala logo com o moço.

– Mãe… tenho super poderes! Leio mentes! Ele não vai dar não!

– Oi?

– Ele não vai dar não!

– Eu faço mágica! Tenho super paciência pra não te meter a mão pra parar de história.

– Pois tenho também, mãe, um super escudo! Um escudo em que não posso sentir dor. Como a senhora não me bate, só me ameaça, consegui também o super poder de prever seus movimentos. E sua mão direita vai seguir com a Maria no colo e a esquerda puxando o carrinho.

– Inferno!

– Olha… minutos atrás fiz uma mágica para começarem as estrelas do céu. Lá estão! Só não peço cadente porque pode cair na nossa casa. Ou na casa de outra gente que não tem o que comer e fica pedindo igual a gente. Mas as três Marias estão lá!

– Não aponta que dá berruga, menina!

– Tenho agora super força também. Dá minha irmã aqui. Ela sorri quando eu pego. Nossa… tá pesada mesmo!

– Tá pesada como esse assunto besta. Isso é imaginação! Coisa de criança! Você tem tempo pra ficar imaginando mesmo? Pra ficar brincando de mágica? Eu aqui, acabada e você fazendo palhaçada?

– O palhaço faz rir, mãe! A gente nasce pra rir também. Não ficar só andando com esse carrinho manco atrás. A gente também nasce pra rir como criança de tv.

– Começa com esses assunto, começa! Aí vai pedir celular!

– Vou fazer uma mágica pra ter um. E pra senhora não precisar pedir nunca mais. Imagina só viver normal. Ter o que comer. Sem comemorar igual aqueles homem chato de time quando faz gol. Só ter e ponto, mãe.

– Você pode fazer essa mágica! Estudando bastante, arrumando bom emprego e sendo boa gente.

– Mãe… você foi boa gente? Estou tentando puxar os poderes que me deixam ler sua mente, mas deu algum erro. O que é ser boa gente?

– Boa gente é não perguntar tanto e ajudar a resolver logo o problema maior: a fome! E…

– … e pensa comigo, mãe. Eu uso roupa que as pessoas dão. A gente bate de porta em porta pedindo. E você é boa gente! Porque se não fosse, não se mataria pra dar de comer pra gente, certo? Tem um monte de gente que faz coisa errada e continua vivendo bem. Ser boa gente é o que então?

– Faz uma mágica e descobre!

– Já fiz! E as coisas vão mudar. Vai ver que eu, você e minha irmã somos muito parecidas. Até Maria a gente chama. Você nunca fez mal pra ninguém. Podia ter uma vida melhor, mãe. Ou tô errada?

– Chega! Você venceu! Vamo pra casa!

– Vamo! A gente faz esse macarrão e completa com farinha. Assim enche mais! Isso vai dar os dias de descanso que a gente precisa. Sem a humilhação de rodar por essas casa. Vamo, mãe. E não faz essa cara de desanimo, tá? Chegando em casa, vou fazer uma mágica. A gente vai deitar numa cama confortável e viver bem. A Maria vai aprender a falar e vai usar sua matraquice só pra falar o que leu nos gibis. E imitar o povo bonito da novela. Você vai ter mais roupas e sem precisar costurar as que tem. Rasgou, joga fora e pega outra. Vamo! Vamos que a noite caiu e você vai dar banho na Maria. Maria mãe dá banho na Maria filha e eu, Maria irmã mais velha, vou ser responsável e te ajudar cuidar dela. Tudo isso na mágica de minha varinha. A gente mata a fome e vamo ter direito a sobremesa. Você come brigadeiros, Maria o que quiser e eu, mãe, vou querer o sonho mais recheado do mundo.

Guigo RibeiroGuigo Ribeiro é ator, músico e escritor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.