As desigualdades no mercado de trabalho

Foto: Reprodução.

Por Ana Luíza Matos de Oliveira.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que existe um explícito recorte na sociedade brasileira no mercado de trabalho quanto a raça/cor, escolaridade e sexo.

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, com dados de 2016, conforme tabela a seguir, mostra que, se naquele ano a taxa média de desocupação foi de 11,3%, ela foi muito menor entre as pessoas com ensino superior completo (5,8%), contra 15,7% entre as pessoas com ensino fundamental completo ou ensino médio incompleto.

Por sua vez, a taxa de desocupação média dos homens foi de 10,1%, 2,8 pontos percentuais a menos do que entre as mulheres, onde alcançou 12,9% naquele ano.

Já a diferença das taxas de desocupação entre brancos e negros (considerados pretos e pardos neste grupo) também é muito significativa: enquanto entre os brancos esta taxa foi de 9,1%, entre os negros foi de 13,2%. Esse dado é um indicativo das diferenças dos índices socioeconômicos entre negros e brancos no Brasil, que mostra que ainda falta muito para repararmos o passado escravocrata e o presente racista do Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.