Aparelho apreendido com Aécio era um bloqueador ilegal de sinal telefônico, diz PF

Aparelho foi apreendido no apartamento do senador Aécio Neves durante a operação Patmos, que investigava as denúncias contidas nos depoimentos dos executivos da JBS. Tucano alega aparelho nunca foi usado e que era um "presente".

Foto: Wilson Dias

Uma perícia da Polícia Federal (PF) concluiu que um aparelho encontrado em um apartamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG) no Rio de Janeiro é, na verdade, um bloqueador de sinal telefônico que é proibido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O aparelho foi apreendido durante a operação Patmos, que tem como base as delações de executivos da JBS que acusaram o tucano de pedir propina. Ele é alvo de inquérito no STF por lavagem de dinheiro, corrupção passiva e obstrução da Justiça.

“O ruído produzido causa interferência nos serviços de telefonia móvel celular 2G e 3G, dependendo da intensidade do sinal em relação à Estação Rádio Base pode causar a interrupção do serviço. Assim, o uso de equipamentos dessa natureza é vedado pela Anatel”, diz o relatório da PF.

A defesa de Aécio Neves, por sua vez, informou que o senador nunca usou o aparelho, que seria, na verdade, um “presente”.

“O aparelho foi um presente e encontrava-se guardado com outros presentes recebidos. O senador desconhecia tratar-se de equipamento de uso limitado”, diz a nota dos advogados do tucano.

Aécio foi denunciado pela procuradoria-geral da República em junho do ano passado e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, chegou a determinar o afastamento do tucano do Senado. O ministro Marco Aurélio, no entanto, revogou a decisão e Aécio reassumiu o seu mandato. O inquérito contra o tucano segue parado na Corte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.