Ame-o e deixe-o livre para amar

Foto: Divulgação

Por Site Revérbero*

Em disco de 1976, em plena Ditadura, Os Doces Bárbaros, projeto formado por Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil e Maria Bethânia, gravaram a música “O Seu Amor”, que trazia os seguintes versos, mais atuais do que nunca, em reposta ao bordão do Regime Militar ‘ame-o ou deixe-o’:

O seu amor
Ame-o e deixe-o livre para amar
Livre para amar
Livre para amar

O seu amor
Ame-o e deixe-o ir aonde quiser
Ir aonde quiser
Ir aonde quiser
O seu amor
Ame-o e deixe-o brincar
Ame-o e deixe-o correr
Ame-o e deixe-o cansar
Ame-o e deixe-o dormir em paz
O seu amor
Ame-o e deixe-o ser o que ele é
Ser o que ele é

Nesta semana, a emissora SBT produziu vinhetas que relembram a propaganda oficial da Ditadura. Tempos sombrios. **

Segundo Gilberto Gil, a intenção da música gravada pelos Doces Bárbaros foi brincar com o slogan da ditadura, ‘ame-o ou deixe-o’. “Promovendo, através da substituição de uma preposição, um corte profundo de ruptura no significado reducionista, possessivista e parcial do aforismo oficial, símbolo do fechamento e da exclusão maniqueísta, para criar um outro, com outra moral, a do amor – e, portanto, absolutamente generoso, democrático e libertário. A concepção de ‘amor livre’ é também reiterada, reintroduzida como objeto de respeito e admiração à liberdade no amor, e ampliada até para um sentido mais cristão, de amor irrestrito.  Minimalista já na escolha de uma máxima tão concisa e conclusa, a letra também o é na construção – na maneira como suas significações se sobrepõem como degraus de uma escada tosca, de pedreiro, somando-se com um certo desejo geométrico e uma ambição de organização aritmética de fatores numa conta de adição feita com números muito simples”.

*O Revérbero é um site que acabou de ser lançado e que se define como um espaço com abordagem democrática, libertária e jornalística, produzido por meio de análises, ensaios, reportagens, fotos e tudo que reverbera – política, arte, cultura e literatura. “Em tempos de escuridão, nossa missão é trazer um pouco de luz, contribuindo para olhares diferentes”. O site é um projeto iniciado pelo jornalista Guilherme Bittar e pelo fotojornalista Eduardo Matysiak. Aberto a colaboradores.

**Depois da repercussão extremamente negativa e de muitas críticas, a direção do SBT voltou atrás e decidiu retirar as vinhetas com frases que remetem à ditadura militar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.