Ação popular impede ato ilegal do prefeito de Jaraguá do Sul

Convênio previa a cessão de servidores estáveis para a Acijs, com ônus para o município

O convênio ilegal entre o prefeito Antídio Lunelli e a Acijs (Associação Comercial e Industrial de Jaraguá do Sul) foi rescindido no dia 31 de julho. A nulidade do referido convênio foi pedida, no dia 13 de julho,  à Vara da Fazenda de Jaraguá do Sul por meio de Ação Popular assinada pelo presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sinsep), Luiz Cezar Schorner (nº 0305273-37.2017.8.24.0036). Mas, antes mesmo de prestar as informações requeridas pela juíza Cândida Brugnolli, a respeito da Ação Popular, Antídio Lunelli determinou a rescisão “amigável” do convênio, conforme publicado no Diário Oficial dos Municípios – Edição nº 2308, de 31 de julho de 2017.

O advogado Cesar Antônio Lenzi defende a ilegalidade do Convênio nº 212/2017 porque viola a Lei Complementar nº 148/2014, que não autoriza a cessão de servidores municipais concursados a entidades privadas, ainda mais de forma gratuita. “O convênio era lesivo ao patrimônio público uma vez que previa a cessão de servidores estáveis à entidade empresarial privada, permanecendo com a prefeitura o ônus do pagamento dos vencimentos e dos encargos dos servidores cedidos”, reforça o advogado. Para o presidente do Sinsep e autor da Ação Popular o cancelamento do convênio mostra que o próprio prefeito sabia do resultado favorável à Ação: “Alcançamos o objetivo de impedir uma ação ilegal do prefeito municipal”, avalia Luiz Schorner.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.